Macapá é a 36ª cidade mais violenta do mundo

Do jornal “aGazeta”

Com 45,08 mortes violentas para cada 100 mil habitantes, Macapá conseguiu figurar entre as cinquenta cidades mais violentas do mundo, segundo estudo da organização não governamental (ONG) mexicana Conselho Cidadão para Segurança Pública e Justiça Penal, divulgado ontem, 13. O índice assustador deu à capital amapaense a 36ª posição no ranking mundial.
Tamanha dimensão de criminalidade ultrapassou os limites da capital, colocando o Amapá na quinta colocação nacional de estados mais violentos, com 38,7 mortes para cada grupo de 100 mil habitantes. A conclusão é da pesquisa desenvolvida pelo Instituto Sangari, com informações do Ministério da Justiça.  (Leia mais)

  • Cara Alcinea e amigos deste site, os dados são do ano de 2010 e os números são da média por cem mil habitantes, ou seja, o Estado tem uma população de aproximadamente600 mil habitantes e os indices são calculados em cima do total de habitantes. É claro que para um Estado do tamannho do Amapá esses indices são alarmantes…

  • Impera o velho discurso: CULPA DA POLÍCIA. Pobre polícia! o que ela pode fazer? Como combater as drogas, se figurões da política e artistas famosos fazem uso dela? A real culpa do aumento da criminalidade é a quantidade de marginais que são jogados no mundo a todo instante, feito bichos, por meio de uma natalidade irresponsável e inconsequente. Não falta polícia. O que falta é família.

  • Somos a sexta economia do mundo e achamos que os problemas de segurança pública vão ser resolvidos pela policia. Isso é conclusão de povo terceiromundista. Temos que ter é educação de qualidade para nossos filhos, seguridade social, justiça isenta e estado voltado para a sociedade. A familia tem que voltar a ser responsável pela educação de seus filhos e não empurrar para o estado a educação e instrução.
    Acho impressionante que todos cobram soluções do estado como se ele tivesse a varinha de condão. Isso é hodonismo, a lei do menor esforço. Todo mundo está querendo se livrar de tudo. Todos começam a esquecer que a celula mater da sociedade é a familia. Este é nosso principio como ser humano gregário e será nosso fim se continuarmos assim.

  • Esse discurso tolo de que a policia não deve ser militarizada, ditadura repressão e não prevenção, fez com que na década de 80 e 90 entrássemos na cultura da violência e na proteção do criminoso ante a proteção das vítimas, ora a polícia e a justiça dos EUA esmaga os criminosos, ou seja naquele país presos não tem direito de nada, são realmente punidos, com perpétua, pena de morte, não tem redução de pena, não tem lei de algemas, não importa se é autoridade e etc, realmente com esse pensamento tosco e com essa corrupção estamos longe de viver uma democracia como nos EUA.

  • O Amapá tem polícia demais e segurança de menos, pelo simples fato de não existir política de segurança pública no Estado. O prazo para qualquer governo sério mostrar serviço é de 100 dias, e a coligação PSB/PT completa hoje 378 dias de poder, então não há desculpa pra não haver sequer uma avaliação séria sobre a situação da segurança pública no Estado. Nesta questão, o governo anterior errou sim, e grosseiramente, ao priorizar uma política de segurança baseada em repressão e não em prevenção. O problema é que o governo PSB/PT vem repetindo a mesma cantilena, sem tirar nem por, como se contratar mais políciais e comprar helicóptero e viaturas fosse resolver o problema. O investimento único na polícia militar é erro tosco de governo. Polícia militar é resquício do passado histórico desse país de falta de democracia. Nenhuma democracia séria deste planeta tem polícia militar como base de sua política de segurança. Só as ditaduras. E, para comprender melhor a situação, basta atentar para a diferença nos lemas adotados pelas polícias Americana e brasileira: Nos EUA, o lema da polícia é : SERVIR E PROTEGER. Ou seja, o policial sabe de antemão que sua obrigação é estar a serviço do cidaão e protegê-lo a qualquer custo. Aqui, o lema da PM é: A RAZÃO ANTES DA AÇÃO. Ou seja, aqui o Estado vem antes do Cidadão. E pior, o policial daqui sabe que basta dizer duas palavras (a dita razão), e se o cidadão não atender, aplicar-lhe a ação (baixar a porrada!!!). Ainda não vi nem em sonho qualquer inciativa do PSB/PT de mudar tal situação. Então, torceremos para que o Amapá um dia não chegue ao 1º. Lugar desse ranking horroso. Porque, por aqui, tá tudo como dantes no quartel de Abrantes!

  • Falta de investimentos e seriedade com a questão de segurança pública, além dos políticos fomentarem a mséria no Estado, quanto a segurança pública as verbas do fundo nacional de segurança pública não são bem empregados e fiscalizados pelos governos, inclusive esse,a propósito esse governo com esse papo de socialismo de meia-tijela, impede que a polícia atua de forma mais contundente contra a criminalidade, tudo isso combinado com o péssima exemplo dado pelos dirigentes (que demostram atitudes criminosas)contribuem para o Amapá se torna uma terra incivilizada e selvagem perante o mundo.

  • Precisamos urgente de “Polícia Paralela”! Na verdade tenho criado uma ideia clara que o Amapá é um “Estado Paralelo”, sempre foi isso pro resto do Brasil.

  • Com a roubalheira do dinheiro público as consequências horríveis são inevitáveis. Esse ranking deveria compor também a corrupção como poder paralelo da violência.
    quantos desses caras bandidos dos governos usufruem daquilo que deveria ser investido para o benefício de todo contribuinte e sequer foram penalizados e muito menos a devolver o que roubaram? O crack e autoridades corruptas são a mesma coisa: eles são destruidores de gerações. Pena de morte, é o que eles merecem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *