Alcinéa Cavalcante

Liberdade de expressão!
Macapá - Amapá

Retrato em preto-e-branco

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 30/11/10 as 5:39 pm

Sabe quem são esses craques?
Diz aí na caixinha de comentários

Contra a corrupção

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 30/11/10 as 4:43 pm

A necessidade do envolvimento de todos os cidadãos no combate ao desvio do dinheiro público é a tônica do seminário que será realizado em Belém no próximo dia 9, Dia Internacional Contra a Corrupção. Segundo pesquisas, o custo médio anual da corrupção no Brasil representa de 1,38% a 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB), ou seja, gira em torno de R$ R$ 41,5 bilhões a R$ 69,1 bilhões.
Para enfrentar o problema, integrantes de órgãos governamentais e não-governamentais vão debater formas de aprimorar a aplicação das leis e de estimular a participação social no controle dos recursos públicos. Durante o evento também haverá o lançamento do Observatório Social de Belém, organismo de apoio e incentivo à pesquisa, análise e divulgação, pela sociedade, de informações sobre a aplicação de recursos públicos.
O seminário, que será realizado na Unama – campus Senador Lemos, é uma referência à assinatura da Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção, ocorrida na cidade mexicana de Mérida, onde, em 9 de dezembro de 2003, mais de 110 países assinaram a convenção, entre eles o Brasil. As inscrições para o seminário serão abertas na internet nesta quarta-feira, 1º de dezembro, no endereço http://www.prpa.mpf.gov.br/eventos.
Além do lançamento do Observatório Social de Belém, o evento terá a participação da diretora-executiva do Observatório Social do Brasil, Roni Enara. O Observatório Social do Brasil congrega os observatórios já instalados em 33 municípios de todo o país.
A Controladoria-Geral da União (CGU) também apresentará experiências acumuladas nessa área desde 2008, quando lançou o Observatório da Despesa Pública. O projeto reúne diversas soluções de informática aplicadas sobre bases de dados de gastos públicos, com o intuito de identificar e prevenir desvios que possam ocasionar prejuízos aos cofres públicos.
As leis da ficha limpa e da improbidade administrativa, que marcaram a história do combate à corrupção no Brasil, serão temas de palestras de membros do Ministério Público. O evento contará também com a apresentação do balanço sobre o primeiro ano de atividades no Pará da Rede de Controle da Gestão Pública, fórum que reúne órgãos responsáveis por fiscalizar gastos públicos.
O seminário do Dia Internacional Contra a Corrupção é promovido no Pará pela CGU, Tribunais de Contas da União, do Estado e dos Municípios, Ministério Público Federal e Estadual, União Nacional dos Analistas e Técnicos de Finanças e Controle, Unama e pela Rede de Controle da Gestão Pública.

(Fonte: MPF-PA)

E aqui?

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 30/11/10 as 4:42 pm

No Amapá, um dos estados mais corruptos deste país, até agora não há nenhuma programação para o Dia Internacional Contra a Corrupção.

Um show imperdível

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 30/11/10 as 2:05 pm

“Cantiga de Amigos” com Silvio Carneiro e Yan Fernando
resgata música brasileira de raiz

Silvio Carneiro e Yan Fernando encontram-se no Sesc Centro, hoje, 30 de novembro, no show Cantiga de Amigos onde interpretam canções consagradas no disco Cantoria 1, gravado em 1984 na Bahia. O show faz parte do Projeto Botequim e traz para o palco músicas de Elomar, Geraldo Azevedo, Xangai e Vital Farias que retratam a vida sertaneja cantada por autênticos nordestinos que traduzem o sertão brasileiro como poucos no show que deu origem ao disco. O sucesso do primeiro lançamento  os levou  de volta aos palcos para gravar o Cantoria 2, em 1988.

Os músicos- Os dois artistas comungam da mesma paixão por músicas brasileiras e a diferença de idade não impediu as afinidades. Silvio Carneiro tem 33 anos, nasceu na Paraíba é jornalista e chegou no Amapá em 2005. Tem a música como companhia desde a infância, cresceu ouvindo de clássicos eruditos a populares e aprendeu violão com amigos. Fã de Raul Seixas, deixou que o rock entrasse em seu repertório na sua passagem pelo movimento estudantil. Integrou bandas de rock ainda no nordeste, mas a tendência pelo estilo progressista de Raul e Zé Ramalho levou Silvio para as rodadas de violão entre amigos acadêmicos onde fazia imitações de seus ídolos. Além de excelente intérprete, Silvio compõe e depois de alguns anos dedicado ao jornalismo, retornou em 2010 à música com o show “Raul Seixas-21 Anos Sem Luar”. Logo após apresentou no Sesc o “Nordeste Independente” e no Complexo Araxá, “As Aventuras do Maluco Beleza no Reino de Avohai”.

Yan Fernando é um jovem amapaense de 19 anos que descobriu muito cedo a música. Assim como Silvio, Yan cresceu escutando músicas de artistas consagrados e se aventurou primeiro na percussão em festas particulares e ampliou esse conhecimento nas baterias de diversas escolas de samba no Amapá. Yan tenta unir o talento nato ao conhecimento acadêmico. Aos 8 anos entrou na Escola de Música Walkíria Lima mas o tempo dispensado com teorias não estava nos planos do garoto que já queria tocar instrumento. Desistiu, mas ao completar 15 anos retornou à Escola de Música onde decidiu se aperfeiçoar de fato em música estudando violão erudito. Aluno de Beto Oscar, Fabinho Costa e André Pantoja, Yan atuou como tenor na Orquestra Oscar Santos durante dois anos e participou de vários recitais da escola de música. Suas influências musicais vão de Villa Lobos à Paulinho Nogueira, Elomar, Chico Buaque, Belchior, Turíbio Santos e muitos outros. Em 2010 foi convidado por jovens artistas amapaenses para participação em shows, como a exemplo de Rebeca Braga e o próprio Silvio Carneiro.

O Show- Em Cantiga de Amigos a dupla vai interpretar músicas como Sete Cantigas Para Voar, Kukukaya, Ai Que Saudade D’ocê, ABC do Preguiçoso, Saga da Amazônia, Moça Bonita, Arrumação e outras que não fazem parte do repertório do disco, como as de autoria de Renato Teixeira, Almir Sater e Paulinho Pedra Azul. “Podemos definir este show como um resgate da música brasileiríssima de raiz”, fala Silvio.
O show começa às 22h. A entrada é franca.

(Texto e foto: Mariléia Maciel)

Arturo Bernard esclarece:

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 30/11/10 as 1:51 pm

“Prezados amigos, uso o espaço no blog para desfazer qualquer mal-entendido quando no dia 25 de outubro de 2010 chamei uma moça de Capitu, personagem de Dom Casmurro, de Machado de Assis. Não tive intenção nenhuma de ofendê-la, entretanto resultou num post neste blog. Desfeito, hoje, este mal entendido. Sinto-me feliz e honrado com o acordo realizado. Obrigado a todos os meus amigos e conhecidos que acreditaram em mim e nunca duvidaram da minha honra.
Arturo Bernard Nascimento Gama”

Randolfe promete apoiar a Confraria Tucuju

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 30/11/10 as 1:49 pm

A partir de 2011 a Confraria Tucuju, casa de cultura com 14 anos de tradição no Amapá, vai ter mais um aliado no Congresso Nacional. O senador eleito Randolfe Rodrigues (PSOL) disse na reunião que terá por princípio destinar suas emendas parlamentares para o Governo do Estado e para as prefeituras, mas, assegurou que “a Confraria Tucuju, por sua seriedade e respeitabilidade, será uma das exceções”.

Randolfe foi recebido pela diretoria e sócios da entidade na última quarta-feira (24). A presidente Telma Duarte falou sobre os projetos da Confraria e expôs as dificuldades de patrocínio que vem enfrentando no ano que se encerra. Entre os presentes à reunião estavam a professora Zaide Soledade, que inspirou o nome do Teatro das Bacabeiras, a jornalista e poeta Alcinéa Cavalcante e a promotora de justiça do meio ambiente Ivana Cei.

A presença de Ivana Cei selou um acordo entre a Confraria, o mandato de Randolfe e a promotoria do meio ambiente para defesa de interesses do patrimônio histórico do Amapá. A primeira ação será uma excursão às ruinas de Vila Vistoza da Madre de Deus, uma das três vilas originárias da colonização portuguesa. Após a excursão será providenciado o projeto de tombamento da área.

“Estou impressionado com a envergadura do projeto de Vila Vistoza. Vou trabalhar no sentido de construir um pacto com a bancada federal, o Ministério da Cultura, o IPHAN e o Governo do Estado para que juntos possamos levantar a situação legal da área e tomar as medidas necessárias para protegê-la”, disse o senador. O grupo fará nova reunião em janeiro, com a presença de outros parceiros, para planejar a expedição.

O senador se comprometeu ainda em apoiar a publicação de obras de cunho literário e histórico. “Quero utilizar menos a gráfica do Senado para propaganda do meu mandato, e mais para apoio à produção literária do Amapá”, assegurou. Nesse sentido, diante da jornalista Alcinéa Cavalcante, informou sua intenção de começar pela publicação de uma antologia poética de Alcy Araújo, pai da jornalista.

Conseguir um selo cultural junto à Biblioteca Pública Nacional, para que obras de resgate da História do Amapá sejam publicadas pela Confraria, foi uma das reivindicações de Telma Duarte. Outra solicitação se referiu ao projeto de resgate dos documentos históricos do Amapá, que se encontram espalhados por diversos países e estados brasileiros. Ambos receberam garantia de apoio de Randolfe.

(Texto: Márcia Corrêa, da assessoria da Confraria Tucuju)