Maria Ester participa de coletânea de contos que será lançada em Genebra

Com o conto “Entre sereias e botos – o encantamento das águas” a escritora amapaense Maria Ester está na coletânea  Contos II,  que será lançada no próximo dia 29 no 31° Salão do Livro e da Imprensa de Genebra. Motivo de orgulho para todos nós amapaenses.
A coletânea é bilíngue (português e inglês). Organizada pela Helvetia Edições, reúne belíssimos contos de autores brasileiros.

Maria Ester  estreou na literatura com o romance “As aventuras do professor Pierre na terra Tucuju”, lançado em 2013 na Feira de Livros do Amapá. Mas além de romances e contos, escreve poesia. E das melhores. Está na coletânea “Poesia na Boca do Rio”, que reúne 16 grandes poetas amapaenses  lançada em 2015.
“O ato de escrever pode ser um dom, mas para mim é um desafio, sinto responsabilidade por isso, mas é também uma tarefa imensamente prazerosa, sou dedicada”, diz.

Quero ser atemporal!
Quero contar minha estadia no mundo
Em momentos de felicidades e desatinos.

Ela conta que  escreve por necessidade, mania, vício… Gosta de escrever à noite, rodeada de livros e tendo ao lado uma garrafa de café. “Sou movida a cafeína”. E escreve de fôlego, quanto mais inspirada mais os versos fluem… naturalmente. E não sente fome, sede (a não ser de café) nem vê o tempo passar.
Escreve, reescreve, lê, relê. Tem a mania de conversar com os escritos, gesticular, fazer caretas pra eles. É autora dos livros “As aventuras do professor Pierre na terra tucuju” e “François, o boto”.

Atendendo um convite meu filiou-se em 2014  à Rede de Escritoras Brasileiras (Rebra) participando das antologias “Assim escrevem as brasileiras”  e “Protagonismo Feminino”
Ela participa ativamente dos movimentos culturais. Debate sobre literatura produzida no Amapá, declama poesias suas e de outros autores (é apaixonada pela poesia de Aracy Mont’Alverne) e faz parte do Movimento Poesia na Boca da Noite, do grupo poético Pena & Pergaminho, da Associação Amapaense de Escritores e da Associação Literária do Amapá.

Parabéns, amiga Ester. Com seu talento e dedicação você vai longe.

  • Alem de tudo que foi escrito acima,Maria Ester nessa nova experiência de divulgação de sua obra literária,impulsionará com novas intuições no seu papel de escritora de expressão escrita e poética no rico e marcante cenário do folclore e das imagens dos varios elementos da natureza do Amapá,enfim um perfil regional com a visão feminina da sensibilidade de Ester.

  • Um Orgulho para nossa Literatura. As palavras sempre navegam pelos encantos da Amazônia e a narrativa por meio dos contos de Maria Ester nos embriagam de magia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *