Dia da Consciência Negra é comemorado com missa, batuque e marabaixo em Macapá

Amanhã, 20 de novembro, dia em que se relembra a luta de Zumbi dos Palmares, acontece a  Missa dos Quilombos, em Macapá, onde, há 27 anos é realizado o Encontro dos Tambores, que faz parte da programação do Mês da Consciência Negra. A missa será celebrada pelo padre Paulo Roberto , Mãe Iolete, Pai Salvino e Pai Marcos, um momento de fé e união das religiões católica e de matriz africana. A celebração será no Centro de Cultura Negra do Amapá (UNA) Raimunda Ramos, no bairro Laguinho, a partir de 20h.A Missa dos Quilombos mescla rituais das duas religiões, que se tornaram características desta celebração, como a abertura, em que membros das comunidades quilombolas entram no anfiteatro com as bandeiras, roupas tradicionais, e imagens de santos, junto com membros dos cultos afros e bailarinos. Na frente do palco são dispostas mesas com frutas, que são distribuídas na hora do ofertório, que ao contrário da missa tradicional, o fiel não doa, mas sim, recebe as frutas como oferta.
A celebração é praticamente toda cantada e dançada, em ritmo de marabaixo e batuque, cânticos católicos e de religiões africanas são acompanhadas pela banda que tem como base a percussão, e o coral, formado por afrodescendentes. O banho de cheiro é outro momento que marca a Missa dos Quilombos. A água benzida e perfumada com flores e ervas é jogada nos participantes como bênção final. Neste ano a banda e coral são formados por moradores do município de Mazagão.

Após a Missa dos Quilombos inicia o Encontro dos Tambores, com o rufar e apresentação de quatro comunidades tradicionais: Berço do Marabaixo da Favela, Raízes da Favela e Raimundo Ladislau, com o marabaixo, e a União Folclórica de Igarapé do Lago (UFIL), que apresenta o batuque. Após as comunidade, tem o show com a Banda Afro Brasil.

A programação do Mês da Consciência Negra 2022 segue até o dia 25, sexta-feira, com apresentação de comunidades tradicionais e shows artísticos.
O tema deste ano é CCNA – 24 anos de Resistência, História e Luta, e é realizado pela União dos Negros do Amapá (UNA), com o apoio da Prefeitura de Macapá (PMM), Governo do Estado do Amapá (GEA), Prefeitura de Mazagão, senador Randolfe Rodrigues, deputado federal Camilo Capiberibe, deputada estadual Cristina Almeida, vereadores Dudu Tavares e Claudiomar Rosa.

(Texto e fotos: Assessoria de Comunicação- 27° Encontro dos Tambores)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.