Macapá tem Ceu das Artes

ceu5O primeiro Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU das Artes) é realidade no Amapá. Foi inaugurado nesta segunda-feira, 15, cercado de tudo aquilo para o qual foi proposto: muita arte, ocupação pela população e integração. Recebidos pelos foliões do Banzeiro do Brilho de Fogo e pela cantora Brenda Melo, que interpretou os Hinos Nacional e de Macapá, a ministra da Cultura, Ana Cristina Wanzeler e o prefeito Clécio Luís, junto com o senador Randolfe Rodrigues, o deputado federal Davi Alcolumbre, o gerente regional da Caixa Econômica Federal, Marcelo Figueiredo, além de vereadores e outras autoridades, descerraram a placa inaugural, dando por iniciadas as atividades do CEU.

E ele, o CEU das Artes do Amapá, representa muito mais que um espaço. É o primeiro equipamento público de cultura da zona norte. O bairro Infraero II ganhou, de uma só vez, cinema, teatro, quadra de esporte, praça, biblioteca, telecentro e Centro de Referência em Assistência Social (Cras). Tudo feito com carinho e o cuidado que a população merece.

“Estamos em clima de prosperidade. Agora temos um local não só de cultura, mas de convivência. Um lugar digno para as famílias, crianças e jovens liberarem a energia, extravasarem e se divertirem com qualidade e com segurança. É a concretização de um sonho, um sonho que terá a participação dos seus moradores na gestão, isso é olhar para o futuro”, declarou a presidente da Associação de Moradores do Bairro Infraero II e integrante do Conselho Gestor do CEU, Veruza Mourão. Um espaço solidário e democrático porque sua gestão será compartilhada, poder público e representantes da comunidade definirão a plataforma de funcionamento do Centro, juntos com os demais membros do Conselho Gestor.

Parafraseando Marcelo Bonfar, dos Titãs, o senador Randolfe Rodrigues, considerado, junto com o deputado federal Evandro Milhomem, o patrono do CEU das Artes no Amapá, disse: “‘A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte (…)’. Esse equipamento é fruto de esforço político e decisivo do prefeito Clécio Luís, mas é para ser ocupado pelo povo, não pertence a prefeitura, mas a comunidade”.

Por sua vez, tomado de emoção e sentimento de mais uma etapa cumprida, o prefeito Clécio Luís lembrou das dificuldades burocráticas que tiveram de ser vencidas para que o CEU das Artes em Macapá se tornasse realidade. Mas também falou da superação de expectativa. “Essa é a segunda obra que inauguramos em parceria com a Caixa Econômica e o Governo Federal. O primeiro foi o Residencial Oscar Santos, e isso demonstra o quanto conseguimos avançar no diálogo com a União, conquistamos credibilidade do Município. O CEU é um presente para a zona norte e toda a comunidade de Macapá. Também é um espaço para os artistas da nossa terra, para todos os segmentos, para capacitar, dar qualidade de vida às pessoas e acesso à cultura, para gente de todas as idades”.

A ministra ficou encantada com cada detalhe, e eles fizeram a diferença. Desde a sua entrada, o CEU convida a passear pela riqueza e beleza das obras dos artistas locais, espalhadas por todos os lados – na fachada, nos bancos, nas vidraças estampadas com pinturas, na pista de skate personalizada. “Encantador”, disse Ana Wanzeler, que como filha do Norte, da ilha do Marajó, fez questão de estar na inauguração em Macapá.

“Esse espaço é de vocês, para que seja um local de integração, para que vocês, da comunidade, o ocupem e zelem por ele também. Estou aqui com muita alegria, com muito orgulho, está lindo. E pensando em nossos artistas e crianças, para que as instiguemos a ler, quero deixar aqui um pensamento do grande escritor Mário Quintana: ‘Os livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas, os livros só mudam as pessoas’”.

ceu6

As portas estão abertas. O CEU das Artes é da e para a comunidade amapaense e de todo o Brasil. As atividades já iniciaram, com a ocupação da Cia. ÓiNóiz Aqui, vencedora do edital nacional. Uma nova realidade para os moradores do Infraero II e bairros adjacentes, porque, como bem lembrou o senador Randolfe, “A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte”. Venha conhecer o CEU das Artes!

(Texto: Rita Torrinha – Fotos: Márcia do Carmo e Max RenêFotos/Asscom PMM)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *