Nesta quinta tem show de Manoel Cordeiro no teatro Margarida Schivasappa

Do Curiaú ao Pará: Manoel Cordeiro apresenta nesta quinta o álbum Guitar Hero Brasil
Por Mariléia Maciel

Metade paraense e metade amapaense, Manoel Cordeiro é o astro que brilha no teatro Margarida Schivasappa, nesta quinta-feira, 5 de setembro, quando seu disco Guitar Hero Brasil será apresentado ao vivo. Considerado um dos maiores instrumentistas brasileiros, arranjador e produtor musical de prestígio, aos 64 anos, mais de meio século de carreira, cerca de  mil discos produzidos, ele lançou nas plataformas digitais no final de semana seu segundo álbum solo, celebrando neste trabalho suas referências musicais. O disco é patrocinado pelo programa Natura Musical, por meio da Lei Semear, do Pará.

Guitar Hero Brasil é uma gostosa salada harmônica em que o brega, marabaixo, batuque, lambada guitarrada, carimbó, zouk e outros estilos que se misturam com cadência, resgatando os ritmos que estão presentes na memória afetiva de Manoel Cordeiro. As gravações iniciaram em 2018, com a co-produção de   seu filho, também produtor e guitarrista  Felipe Cordeiro, e a participação de músicos como Kassin, Liminha, Pedro Garcia, Gustavo Ruiz, Luiz Chagas, Zé Renato, entre outros feras no cenário musical.

São doze músicas que fazem a conexão Macapá/Belém/São Paulo, capital onde Manoel Cordeiro reside atualmente e se estende pelo caribe, cujos sons exercem influência maternal no artista. No disco  ele provoca a interação entre os músicos e ritmos, colocando frente a frente  compositor, guitarrista e produtor, três talentos que dialogam entre si e fazem do nome Manoel uma marca que transita com leveza entre as fronteiras.

Onze músicas do álbum são de sua inteira autoria, somente a São Domingos ele divide com Felipe Cordeiro. As demais composições vieram de sua alma e vivência no quilombo do Curiaú, onde ainda frequenta as rodas de marabaixo e batuque, tocando as caixas e cantando versos,  e soltando os dedos no amassador e dobrador, no ritmo das bandaias. Vem também das lembranças da vida em Belém, e nos interiores do Pará, onde deixou que o brega, guitarradas, carimbós, lambadas e outros ritmos nortistas se instalassem em seu peito e fossem o leme de sua carreira.

Manel, como é conhecido pelas bandas de cá, nasceu no Marajó e ainda criança mudou para Macapá, onde ficou até o fim da adolescência, quando seguiu para Belém. Ele produziu artistas como Roberta Miranda, Beto Barbosa, Banda Carrapicho e Fafá de Belém, que ainda está em seu elenco de estrelas e produziu seu álbum de 40 anos de carreira. Dominador de instrumentos, hoje ele ganha destaque entre São Paulo e outras capitais e países com os prestigiados Combo Cordeiro e Baile do Papai, levando em sua bagagem os ritmos dançantes e sensuais da Amazônia.

Guitar Hero Brasil traz em seu pacote uma inovação na carreira de Manoel, conhecido também como um dos mestres da guitarrada do Pará, que é a gravação de videoclipes, que materializam os ritmos e servem de vitrine das danças regionais dos estados de seu coração. Em agosto foi lançado o clipe de Kalamazoo, uma lambada bem paraense, gravado  na ilha do Combu, com dançarinos mostrando a legítima dança. O clipe da faixa que abre o disco, Curiaú, foi gravado no quilombo, em Macapá, com direito à participação dos afrodescendentes que preservam a cultura ancestral do Amapá.

O videoclipe de Kalamazoo está disponível na internet (https://www.youtube.com/watch?v=yzk_vIhPjtw), e Curiaú será apresentado em outubro, primeiramente para o público paulista, e depois se espalha pelo mundo. Guitar Hero Brasil está nas plataformas digitais desde o último final de semana (https://open.spotify.com/album/73mVWujlPgUfda2Foh1fY6?si=zSxE7sNcRcqNRaPnGtPJgQ) , e será lançado ao vivo no teatro Margarida Schivassapa, no Centur, às 20h, com a participação de Luiz Pardal, Almirzinho Gabriel, Patrícia Bastos, Olivar Barreto, Júnior Soares e Ronaldo Silva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.