Senador Randolfe e o livro “Como as democracias morrem”

Com o livro “Como as democracias morrem”, de Steven Levitsky e Daniela Ziblatt, o senador reeleito Randolfe Rodrigues (REDE-AP) chegou para votar na escola Coaracy Nunes.
Para o governo do Amapá, Randolfe declarou neutralidade. Para a presidência do Brasil declarou voto em Haddad dizendo que por ser cristão, aprendeu com Cristo torturado a repudiar a tortura e a não confiar em quem professa a violência. “Sou historiador, sei os males que a ditadura traz para os povos. Sou professor Direito, meu ofício me leva a votar no candidato que se submeterá à Constituição”, enfatizou.

  • Saudades do Amapá e de você colega (fazemos aniversári no mesmo dia), mas aguentar comunistas que apoiam um regime que não deu certo em lugar algum do mundo, não dá, ainda mais defender presidiário. Parabens Waldez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *