60 e poucos anos

Quando completei 60 anos fiz esse post aqui no blog e hoje fazendo 60 e poucos anos resolvi republicá-lo:

Sexta-feira passada, 19, acordei sex e feliz. Aliás, feliz eu já era. Então, corrigindo: acordei sex e mais feliz.
Ser sex e feliz é uma bênção. Há tanta gente sex que não é feliz e há tanta gente feliz sem ser sex.
Mas como eu ia dizendo, acordei sex. Feliz. Tenho a melhor família do mundo; tenho os amigos que todos gostariam de ter; tenho um jardim onde as borboletas passeiam; um quintal que é morada de passarinhos; tenho amor e saúde.
E foi assim, com família,amor, saúde, amigos, flores, poesia, doces, música, borboletas e passarinhos que na sexta-feira, 19, me tornei sex… sexagenária.

Meus cabelos, que meu pai dizia que eram cor de mel, aos poucos vão ficando charmosamente prateados; o corpo que era de modelo ao longo do tempo foi ganhando um quilinho aqui um acolá e hoje está rechonchudinho (meu cabelereiro diz que mulheres como eu não ficam gordas, ficam com excesso de gostosura); a vista está um pouco cansada, mas isso não faz grande diferença para mim que uso óculos desde criança. Das doenças comuns nessa idade, a única que tenho é hipertensão. Não reclamo. Controlo. Afinal, é a lei natural da vida e sou imensamente grata a Deus e a Meishu-Sama por não ter outros males.

Canto, leio, brinco, escrevo, passeio, solto versos ao vento,espalho poesias na cidade, corro atrás de notícia, brinco carnaval, curto marabaixo, rezo,dou gargalhadas com a família… enfim, sou uma velhinha muito bacana. Vocês não acham?

E eu, claro, não desperdiço nenhuma oportunidade de ser feliz. Agradeço a Deus, a Meishu-Sama, ao meu marido (eterno namorado), ao meu filho (maior tesouro), meus irmãos e cunhados (que são os melhores do mundo), meus sobrinhos (que são lindos) e aos meus amigos, pois sem eles eu não seria tão feliz assim.

  • Parabéns Alcinéia, feliz aniversário, que Deus te ilumine sempre, sempre, são os votos do leitor deste blog maravilhoso. Deodoro Vilhena – morador antigo da Favela que hoje mora em Valença na Bahia.

  • Néa, é seu aniversário, mas você é nosso maior presente. Daqui te mandamos um punhado de tsurus coloridos. Acolha-os no jardim do seu coração. Muita saúde para você ser sex por muitos e muitos anos. Eu, Charles, Júlia, Gabriel e Giovana te ofertamos esta poesia de Flávia Venceslau:
    Eu te desejo vida, longa vida
    Te desejo a sorte de tudo que é bom
    De toda alegria, ter a companhia
    Colorindo a estrada em seu mais belo tom
    Eu te desejo a chuva na varanda
    Molhando a roseira pra desabrochar
    E dias de sol pra fazer os teus planos
    Nas coisas mais simples que se imaginar
    E dias de sol pra fazer os teus planos
    Nas coisas mais simples que se imaginar
    Eu te desejo a paz de uma andorinha
    No voo perfeito contemplando o mar
    E que a fé movedora de qualquer montanha
    Te renove sempre e te faça sonhar
    Mas se vier as horas de melancolia
    Que a lua tão meiga venha te afagar
    E que a mais doce estrela seja tua guia
    Como mãe singela a te orientar
    Eu te desejo mais que mil amigos
    A poesia que todo poeta esperou
    Coração de menino cheio de esperança
    Voz de pai amigo e olhar de avô
    Eu te desejo muito mais que mil amigos
    A poesia que todo poeta esperou
    Coração de menino cheio de esperança
    Voz de pai amigo e olhar de avô

  • Alcinéa que brinca com suas as belas palavras,
    Estende a ciranda até com o imaginário.
    Se estende no além com saudável lembrança,
    Herança ambulante do seu bom dicionário.

    Acho que as minhas palavras dizem um pouquinho do que você (desculpe a intimidade), representa para a nossa cultura. parabéns e que o dia tenha um montão de abraços de familiares e amigos e que essa estrada tenha sempre o olhar do Pai do Céu para lhe guiar. Abraço, amiga!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *