Alguém sabe dizer se…

o Linhão de Tucuruí está engalhicado?
Ninguém aguenta mais tanta queda de energia.
E diziam que com o linhão teríamos energia estável e de qualidade.

  • A questão não é a linha de transmissão que vem de Tucuruí. E sim um problema local, ou seja, na DISTRIBUIÇÃO. A falta de investimentos no sistema de DISTRIBUIÇÃO aliado a incompetência na execução das obras, para a conexão com o “linhão”, causam todo esse transtorno. Sabe o velho ditado ” tapar o sol com a peneira”… então, é mais ou menos essa a situação do nosso estado quando o assunto é DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA.

    • É Gustavo vc esta cheio de razão. O problema não é do “linhão”, e sim da distribuição, de responsabilidade da CEA. Faltou planejamento e competência pra executar os serviços necessários para atualizar e adequar a transformação e/ou distribuição as necessidades de demanda requerida pelos usuários.
      Os alimentadores em AT e MT estão sobrecarregados e mais de 80% da rede BT estão mais de 20 anos instaladas e sem adequação/substituição, visando reforço da distribuição para suprir as exigências atuais, de demanda, do mercado consumidor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *