Amapaense que morreu no voo Lisboa-Dublin levava 80 cápsulas de cocaína no estômago

Jonh Kennedy Gurjão, o  jovem amapaense que  morreu a bordo de um avião que fazia a ligação entre Lisboa e Dublin, no domingo (18), carregava no estômago, cerca de 800g de cocaína, divididas em  80 cápsulas. A autópsia  revelou que uma das cápsulas estourou provocando sua morte.

A Gardaí –  polícia irlandesa-  está mantendo contato com as polícias portuguesa e brasileira para tentar reconstituir as últimas movimentações do jovem. 

A morte ocorreu a bordo do Airbus A320 da transportadora Aer Lingus que partiu de Lisboa para Dublin e foi forçado a fazer uma aterragem de emergência em Cork, no Sul da Irlanda.

O jovem teve convulsões durante o voo, na metade do trajeto.
“Foi horrível e muito violenta [a morte do jovem]. O barulho que ele fazia era algo que eu nunca ouvi antes, e não desejo ouvir nunca mais. A melhor forma de descrever era que ele fazia sons de angústia profunda, bem inquietante”, disse John Leonard, passageiro do voo, em entrevista ao jornal Irish Times.

Em nota a Gardaí  informou que “o  voo foi desviado para o Aeroporto de Cork quando o homem começou a ficar agitado. Foi assistido por um médico e por uma enfermeira que seguiam no mesmo voo, mas acabou por ser declarado o seu óbito já no aeroporto, às 18h40”.

De acordo com as agências internacionais de notícias  John Kennedy Santos Gurjao viajava só mas em Lisboa teria estado com uma mulher que também seguia a bordo, supostamente levando na mala 1,8 kg  de anfetaminas A polícia irlandesa confirmou ontem a prisão dessa mulher que viajava com  com passaporte angolano.

Jonh Kennedy tinha 24 anos. Era do município de Calçoene. De família pobre e  órfão de pai e mãe, há um ano mudou-se para Macapá em busca de emprego.
Uma tia do rapaz, que mora em Calçoene, disse ao G1 AP que a família nem sabia que ele estava fora do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *