Clécio pede informações ao STF

O prefeito de Macapá, Clécio Luís (Rede), aparece na lista de Fachin entre os seis prefeitos de capitais citados na delação premiada de Alexandre Barradas, da  Odebrecht.
Em seu depoimento Barradas disse que a Odebrecht doou, de maneira ilícita (caixa 2) R$ 450 mil para a campanha de Clécio em 2012.
Não há qualquer comprovação de que Clécio tenha recebido esse dinheiro, mas como foi citado o ministro Fachin encaminhou o caso, com pedido de investigação,  à Procuradoria Regional da República da 1ª Região que analisará o pedido e decidirá se abre ou não investigação.
Em nota, o prefeito Clécio  assegura que nunca teve  contato com representantes da Odebrecht antes, durante ou depois de ter sido eleito  e ressalta que não existe nenhuma obra, contrato ou qualquer negociação envolvendo direta ou indiretamente a empresa Odebrecht ou suas subsidiárias em Macapá.

Hoje mesmo, Clécio protocolou um pedido de informações ao STF sobre o caso com o fim de  tomar as contra quem tenha indevidamente mencionado seu nome em esquemas com os quais jamais compactuou.

Clécio disse ainda que não autorizou  ninguém a falar em seu nome com a  Odebrecht  ou com qualquer outra empreiteira.

Portanto, se alguém usou o nome de Clécio para pegar esta grana que bote as barbas de molho pois isso vai ser descoberto, sem dúvida.
Pelo conheço de Clécio sei que ele não sossegará enquanto  não estiver tudo esclarecido tim tim por tim tim.

De minha parte, confio no Clécio. Conheço-o há muitos e muitos anos, desde os tempos que ele ainda muito jovem participava de movimentos culturais e festivais de música. Acompanho sua carreira política, sei do seu caráter, de sua integridade, de sua honestidade. Não costumo meter a mão no fogo por alguém, mas por ele meto e sem luva de amianto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *