CNJ derruba promoção de Sueli Pini ao desembargo

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ)  tornou sem efeito a resolução do presidente do Tribunal de Justiça do Amapá, Dôglas Evangelista Ramos, que promoveu ad referendum do Pleno, pelo critério de antiguidade, a juíza Sueli Pini ao desembargo na vaga que abriu com a aposentadoria do desembargador Mário Gurtyev. Ela foi empossada no dia 11 deste mês.
O CNJ se manifestou contrário a promoção ad referendum do Pleno do Tribunal, que deveria se pronunciar para aceitar ou rejeitar o nome de Sueli Pini. O problema é que nunca havia quórum para tal. Mas agora  vai ter que ter, pois o CNJ  já avisou que serão punidos os desembargadores que gazetarem a sessão para escolha do  nome que vai assumir a vaga – que pode ser o da própria Sueli Pini.  A escolha deverá ser feita no máximo em 30 dias.

  • Se eu tivesse que dar um conselho à ilustre Dra. Suely Pini, diria o seguinte: DESISTA DO DESEMBARGO. Como juíza, a Dra. Suely é mais útil à sociedade amapaense. Outro problema é a INVEJA. Por ela ser uma pessoa ficha limpa, competente e querida por todos nós. ela seria uma vítima da INVEJA dentro do Tribunal. Pense Dra. Suely.

  • SEGUNDO ESSA MESMA DECISÃO PROLATADA PELO NOBRE MINISTRO GUILHERME CALMON DO CNJ, DEVE-SE NOMEAR O MAIS ANTIGO MAGISTRADO DO ESTADO, QUE NO CASO SERIA NOVAMENTE O JUIZ CESAR, AI SE ELE ASSUMIRIA É OUTRA HISTORIA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *