Confirmados 2 casos de febre chikungunya no Amapá

A Coordenadoria de Vigilância em Saúde (CVS) confirmou os dois primeiros casos de febre chikungunya no Amapá. São dois adultos que contraíram a doença em Oiapoque. Um mora no município e outro em Macapá.

Segundo a chefe da Divisão de Epidemiologia da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (CVS), enfermeira Iracilda Costa da Silva Pinto, foram registrados dez casos suspeitos da febre chikungunya em Oiapoque e dez em Macapá, sendo confirmados quatro casos importados, dois vindos da Guiana Francesa e de Guadalupe e dois contraídos em Oiapoque.

A CVS aguarda o resultado das demais amostras. Nesta segunda-feira, 15, outro caso, o de uma criança, começou a ser investigado. “Não há casos da doença confirmados na capital, apenas suspeitos”, esclareceu Iracilda Costa.

A Coordenação mantém o plano operacional de contenção da doença em Oiapoque, por ser uma área de fronteira com a Guiana Francesa, realizando todos os procedimentos de investigação epidemiológica e controle vetorial, borrifação, além de busca ativa de criadouros para evitar a disseminação do vírus.

“A Guiana Francesa está muito próxima do Amapá e é comum o trânsito de amapaenses para o país vizinho. Por isso, essa realidade nos deixa em estado de alerta, já que não podemos descartar a possibilidade da entrada do novo vírus”, pontuou o secretário de Saúde, Jardel Nunes.

A prevenção da doença consiste em adotar medidas simples no próprio domicílio e arredores que ajudem a combater a proliferação do mosquito transmissor do vírus.

Por ser transmitido pelo Aedes aegypti, a forma ideal de se combater o chikungunya é eliminando objetos que possam acumular água, locais propícios para a criação. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, entre outros.

Outra medida que pode ser adotada pela população em locais onde foram detectados casos do chikungunya é evitar a picadas do mosquito transmissor, usando calças e camisas de mangas compridas; usar sempre o repelente; certificar-se de que janelas e portas estejam com telas protetoras contra os insetos; borrifar inseticidas embaixo da cama, antes de dormir, e usar mosquiteiro para proteger as pessoas idosas e crianças.

Chikungunya e seus sintomas

A chamada febre chikungunya é uma doença viral parecida com a dengue e transmitida por um mosquito comum no Continente Africano. Os sintomas iniciais são febre alta repentina, dores intensas nas articulações de pés e mãos, dedos, tornozelos e pulsos, dores de cabeça, dores musculares e manchas vermelhas na pele. Os tornozelos, punho e articulações da mão tendem a ser mais afetadas, podendo atingir também as articulações maiores, como o joelho, o ombro e a coluna.

Outros sinais e sintomas podem incluir cefaleia, dor difusa nas costas, mialgia, náusea, vômito, poliartrite, erupção cutânea e conjuntivite. O que pode contribuir na diferenciação com a dengue é o predomínio da dor articular sobre os outros sintomas, além do paciente definir claramente quais são as articulações afetadas. Diferentemente da dengue, uma parte dos indivíduos infectados pode desenvolver a forma crônica da doença, com a permanência dos sintomas, que podem durar entre seis meses e um ano.

Como se reproduzem em água parada, a prevenção deve ser feita evitando o seu acúmulo. O mosquito só transmite a doença se estiver infectado.

(Secom/GEA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *