Correios lançam selo em homenagem aos Bombeiros

Os Correios lançaram hoje (4), no Dia Internacional do Bombeiro, uma emissão postal Especial Profissão: Bombeiros. Com esta segunda emissão, os Correios dão sequência à série “Profissões”, que lançará selos postais relativos a cinco profissões brasileiras entre os anos de 2021 e 2025. O primeiro da Série Profissões abordou o Gari, em uma homenagem a uma atividade muitas vezes invisível e essencial para o dia a dia de toda cidade.

O destaque da série hoje (4) é o Bombeiro, profissional de grande importância, responsável pelo socorro e salvamento das mais diversas situações de emergências. O selo também traz a representação de bombeiros e algumas ferramentas de trabalho.

Desde o início da história da humanidade, o fogo foi grande fator de desenvolvimento mas também responsável por parte dos maiores desastres em devastação do meio ambiente e perda de vidas, a prevenção e o combate a incêndios é a principal atividade dos Bombeiros mas é só uma parte das muitas atribuições destes profissionais que atuam em situações de risco como acidentes, explosões, altura, desabamentos, perdidos em mata, emergências químicas com produtos perigosos e tem papel importante na educação e nos serviços de proteção e defesa civil.

Se a história da profissão no mundo tem mais de 2 mil anos, no Brasil ela teve início em 1856, com o primeiro serviço público governamental na então capital Rio de Janeiro. Este trabalho foi coordenado por engenheiros e executado por moradores e escravos, porém somente em 1880 estes coordenadores vieram a receber patentes de oficiais militares. Em 1876, em Manaus (AM), foi criado o primeiro serviço público Municipal de Bombeiros, que até antes era realizado por moradores de forma voluntária, sendo que em 1892 foi formalizado o primeiro serviço público não governamental, os Bombeiros Voluntários de Joinville (SC).

Décadas após surgiram os primeiros serviços de bombeiros militares pelo país. No mundo, somente o Brasil possui serviços de bombeiros militares ou de polícia militar estadual ou distrital. Em todos os demais países estes serviços são civis e municipais.

Para ingressar na profissão na área civil a pessoa precisa ser certificada em curso profissionalizante reconhecido de nível básico, ou ser diplomado em curso técnico ou superior e então como profissional da área buscar aprovação em concurso público ou processo seletivo. Bombeiros e Bombeiras poderão exercer a profissão em todo país em serviços públicos ou privados. Já para a carreira militar, não é necessário que a pessoa tenha curso profissionalizante prévio. A própria corporação militar promove a formação de seus recrutas, bastando apenas os interessados passarem no concurso e também serem aprovados no curso interno de formação, exercendo assim a profissão exclusivamente na respectiva corporação.

Arte do selo – O selo traz uma composição de diversos bombeiros, demonstrando a diversidade de seus equipamentos e uniformes. Um dos uniformes representados, vestido pela bombeiras do canto inferior esquerdo, é o padrão nacional adotado pelo Brasil.

Na parte inferior, ao centro, é possível ver um cão de resgate. As mangueiras enlaçadas são símbolos da profissão e podem ser encontradas em diversos brasões das corporações existentes no país. Ao fundo, é possível ver as duas maiores áreas de atuação deste profissional: o meio urbano e o florestal.

A artista do selo é Adriana Shibata. A técnica utilizada foi computação gráfica. A tiragem é de 240 mil selos, com valor facial do 1º Porte da Carta (R$ 2,35). A folha, com 30 selos, estará disponível a partir da próxima sexta-feira (6) na loja virtual e em breve nas principais agências dos Correios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.