Dia do Garçom- A trajetória de Manoel Castelo

Responsabilidade, bom atendimento e agilidade no serviço. São qualidades do Manoel Nunes Castelo, que atua há 50 anos como garçom no Amapá. A Prefeitura de Macapá conta a história dessa figura exemplar, conhecido carinhosamente como “seu Castelo”, em homenagem ao Dia do Garçom, celebrado nesta quinta-feira (11), uma profissão exercida por ele com muito zelo.

Seu Castelo, de 72 anos, acorda cedo todos os dias para fazer o que ama, sendo respeitado e valorizado pelo excelente trabalho desenvolvido. Só na gestão pública municipal, ele presta serviço há 26 anos, reconhecido por todos os funcionários da Prefeitura de Macapá.

“No Dia do Garçom, me sinto como um dos mais antigos, pelo tempo de serviço e idade. Sempre digo para os meus colegas, que valorizem a nossa profissão, que é muito importante e querida, além de dona do ditado: ‘Viu? Não viu. Escutei? Não escutei!’ Quando estamos trabalhando na mesa, todo mundo conversa, mas nosso trabalho requer muito sigilo”, explica o profissional.

De origem simples, nascido em Breves, no Estado do Pará, o garçom firmou raízes em Macapá. Pai de sete filhos, batalhou diariamente para garantir o sustendo de todos. Além disso, com ele, são 13 irmãos da mesma família que já atuaram, de alguma forma, na profissão.

Ao longo dos anos serviu presidentes, ministros, governadores, prefeitos, inúmeros deputados, vereadores e figuras públicas. Esperançoso e com bom coração, ainda tem um sonho para realizar.

“Já servi oito presidentes da república, nove governadores e cinco prefeitos de Macapá, desde o Comandante Barcelos até o Dr. Furlan. A única autoridade que não atendi na terra, foi o Papa e ainda sonho em dar um copo com água para ele”, celebra Castelo.

Trajetória
Manoel Castelo iniciou a carreira no dia 5 de julho de 1972, a convite da ilustre Rainha Moma do carnaval amapaense, Maria Alice Guedes de Azevedo, proprietária do Bar Cacique à época. A experiência de vida levou o garçom para vários locais que fazem parte da história de Macapá.

“Comecei no Bar Cacique, da dona Alice Gorda, na qual sou muito grato pela oportunidade. Fui convidado por duas entidades para trabalhar de garçom. Atuei também em uma das boates mais faladas da época, que se chamava Merengue. Depois de lá fui para o restaurante Glória, Corujão, Peixaria do Dede, na vila do Chapéu de Palha, Tremendão, Círculo Militar, sede do Trem, Amapá Clube, Lions Clube, Cabana do Pai Tomás e Balaio”, conta emocionado.

A memória do garçom segue impecável. Ainda recorda do primeiro cliente que atendeu, como se tivesse ocorrido ontem. “O freguês foi seu Bandeirante, um senhor famoso na época, do ramo de bijuteria, tinha um jeito todo enfeitado. Me lembro bem quando ele me pediu uma cerveja e a música Detalhes, do Roberto Carlos”.

Em 1980, trabalhou para o governo do antigo Território Federal do Amapá, a convite do então governador Aníbal Barcelos, nomeado na época pelo presidente João Figueiredo. Em 1997, quando o político passa a ser prefeito de Macapá, o garçom dá início a trajetória de mais de 20 anos de serviço prestado na gestão municipal.

‘’Ia ser garçom apenas por um mês para o Comandante Barcelos, mas passei 13 anos, 7 meses e 17 dias. Em 1997, quando ele assumiu a Prefeitura, a partir de 2 de janeiro, vim para cá trabalhar e cá estou há 26 anos’’, recorda.

Tido como referência pelos colegas de trabalho na Prefeitura de Macapá, ele investiu na educação, realizando três cursos de capacitação, dois para o ramo de garçom e um para hotelaria.

‘’Seu Castelo é símbolo de empenho e amor pelo trabalho, famoso pela dedicação na Prefeitura. Merece toda valorização e reconhecimento, por ser íntegro. São exemplos como este que devem ser observados, pois está no dia-a-dia aqui, querendo também uma Macapá melhor para todos’’, destaca o prefeito Dr. Furlan.

(Texto: Aline Paiva – Fotos: Adevaldo Cunha/Secom-PMM)

  • Grande Castelo, parabéns!!! E a todos os garçons!!!
    Em memória daqueles que já foram para o andar de cima, e suportavam nossos porres juvenis!!!
    Parabéns aos garçons dos palácios políticos e aos garçons dos muquifos mais sem vergonha, das antigas gafieiras, dos rendez vous de nosso Brasil!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.