Energia mais cara

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) homologou hoje (26/11) em reunião pública o índice provisório do reajuste tarifário da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) que terá eficácia a partir do próximo dia 30/11/13 para 180 mil unidades consumidoras localizadas em todo o estado do Amapá.
O índice provisório estará em audiência pública do dia 29/11/13 a 31/01/14. A audiência servirá para aprovar o índice definitivo do reajuste da empresa. A distribuidora do Amapá estava inadimplente há dez anos com o pagamento de encargos do setor elétrico. Como regularizou sua situação, a empresa poderá reajustar a tarifa.

Confira abaixo o índice provisório que foi homologado para os consumidores residenciais dessa distribuidora.

Empresa Consumidores residenciais
(Baixa tensão – B1)
CEA 28,67%

Ao calcular os índices de reajuste, a Agência considera a variação de custos que a empresa teve no decorrer do período de referência. A fórmula de cálculo inclui custos típicos da atividade de distribuição, sobre os quais incide o IGP-M e outros custos que não acompanham necessariamente o índice inflacionário, como energia comprada de geradoras, encargos de transmissão e encargos setoriais.

Confira abaixo as médias dos índices de baixa e alta tensão:

Empresa Classe de Consumo – Consumidores cativos
Baixa tensão em média (abaixo de 2,3 kV)
Por ex: residências
Alta tensão em média
(de 2,3 a 230 kV)

Por ex: indústrias
CEA 28,67% 28,67%

Os interessados poderão enviar contribuições à audiência a partir da próxima sexta-feira (29/11)  para o e-mail [email protected] ou para o endereço da Agência: SGAN, Quadra 603, Módulo I, Térreo, Protocolo Geral, CEP: 70.830-110, em Brasília (DF).

(Agência Nacional de Energia Elétrica)

  • Eu até concordo em pagar mais caro pela energia que consumo aqui em Macapá, contanto que melhore o fornecimento.O que eu vejo aqui no Amapá é a falta de investimentos, ruas mal iluminadas, praças no escuro, refletores quebrados, quedas bruscas de energia, etc. É um total “amadorismo” comparado com a infraestrutura elétrica de todas as outras capitais do Brasil. Nota 0 para a CEA!

  • Agora entendi o porquê da energia barata aqui no Amapá.Triste a situação,mas uma hora a coisa teria que ser resolvida.

  • Além da divida de 1.4 bilhões que vamos pagar indiretamente, existe mais de 100% de tarifa aprovada e não cobrada pela Cea. é só esperar para conferir, essa federalização foi boa demais, Perdemos uma empresa, ficamos com a divida aqui citada e ainda vamos pagar tarifas absurdas. isso é competência pura. E o povo, este, deve se vingar no próximo pleito eleitoral, assim esperamos.

  • “Antigamente” ventilavam para todos os cantos que o Amapá tinha a energia mais barata do Brasil, era o fato, mas “esqueciam” de contar também o motivo: a inadiplencia da CEA com a Eletrobrás impediam qualquer reajuste de tarifas. Era um “faz de conta”. Com a federalização, o reajuste e outras medidas terão que ser tomadas para “profissionalizar” de vez a CEA. Teria que ocorrer no governo de alguém, e alguém teria que levar a “culpa”. Mas é uma decisão que tem que ser tomada. Mas também estou indignado.

  • Égua isso é um assalto, um furto, um roubo!!! socorro polícia!!! nossa bancada federal e nossas instituições ligadas às garantias institucionais e ao cidadão tem de atuar urgentemente. Essa ELETRONORTE/CEA pensa que os moradores daqui são parlamentares de Brasília-DF? essa federalização foi uma mesda, só para tirar grana às custas do nosso povo. Agente vai viver agora só prá pagar energia elétrica? Uma banana pra essas caras de Brasília.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *