Governador quer investigação para apurar causa de desmoronamento no porto da Anglous Ferrous

O governador Camilo Capiberibe, acompanhado de técnicos da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e secret rios de Estado, esteve na empresa Anglous Ferrous, em Santana, para verificar pessoalmente a área do acidente e ao mesmo tempo solicitar que seja feita uma investigação para apurar as causas.

De imediato a empresa será notificada pelo Instituto do Ambiente e Ordenamento Territorial do Estado do Amapá (Imap) para que apresente o Plano de Emergência. Paralelamente a isso, os técnicos do órgão, com o apoio do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Ieap), Secretaria de Estado da Indústria e Comércio, mais o Batalhão Ambiental já iniciaram uma vistoria no local.

“Também será solicitado que seja contratada uma empresa para fazer um laudo, cujo acompanhamento será feito pelos técnicos do governo para que se descubram as causas do desmoronamento”, informou o diretor do Imap, Maurício de Souza.

O governador Camilo Capiberibe disse  o Corpo de Bombeiros, com uma equipe de dez mergulhadores, se concentra no resgate das vítimas, para dar uma resposta às famílias, e que todos os órgãos do Governo Estadual estão mobilizados.

“Vamos trabalhar conjuntamente para saber o que aconteceu e principalmente para evitar no futuro que acidentes como esses voltem a se repetir. Agora, uma perícia profunda precisa ser feita no local para saber se cabe a responsabilidade a alguém”.

(Paulo Ronaldo/Secom)

  • Será que a empresa tem técnico de Segurança do Trabalho? Existia um relatório a ser preenchido diariamente pelos trabalhadores antes da execução dos serviços, “historiando” ao supervisor como iriam ser executados seus afazeres? Isso é adotado,justamente, para que haja o cumprimento da Norma Regulamentadora do Min. Trabalho. Com a palavra a fiscalização da D.R.T. e Sindicato dos Trabalhadores. E a ART com registro da reforma do PIER, está registrada no CREA? quem era o Engenheiro responsável pela execução da obra de reforma? O registro dele está ou estava O.K. perante aquele conselho?
    São algumas das perguntas que deverão ser respondidas ao longo das investigações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *