Greve dos professores

Em assembleia geral os professores decidiram entrar em greve a partir de amanhã, terça-feira. Eles querem a revogação da lei que incorporou ao salário a regência de classe.
Na opinião deles, o governo burlou a lei do piso ao incorporar a regência da classe em vez de conceder o reajuste para atingir o piso.
Hoje pela manhã, no programa “Bom dia governador” o governador Camilo Capiberibe pediu que “os professores mantenham suas atividades para que milhares de estudantes não sejam prejudicados.”
Sobre a incorporação da regência, o governador disse que  “ela cristaliza o direito e garante segurança para o trabalhador.”
“Ninguém pode tirar mais a regência, como o que aconteceu com o Plano Collor, que foi um grande drama para o professor e para o Estado”.
O argumento do governador não convenceu a categoria.

  • O sindicato pisou na bola, senão vejamos: em 2012, o Estado apontou para um aumento de 16,85%. O sindicato não aceitou e recebeu 8% linear. Neste ano de 2013, O Governo deu aumento linear de 7,13% e vai acrescentar mais 3% em agosta. Ora, se o sindicato recusou os 16,85%, isso implica em dizer que a soma dos aumentos chegam a 18,13%. Se aceitasse os 16,85% estaria com 27% o que aproximaria dos 33%. Em movimento de greve sempre se usa a tática de “recuar um passo para dar dois na frente”.

  • Aos comentaristas de plantão, gostaria de informar que a Ação de Medida Cautelar Cível que visava acabar com o movimento grevista impetrada pelo GEA (TJAP Processo 0000638-24.2013.8.03.0000) foi negada pelo Des. Raimundo Vales. Além de NEGAR O PEDIDO, MANDOU O GEA ABRIR A MESA PARA NEGOCIAÇÂO E DEU UM PRAZO DE 10 DIAS (ATÉ 17/05/2013) para resolver a questão. Agora coitado do Desembargador agora poderá ser desqualificado pela turba do PSB!!

  • Engraçado! Os dirigentes do Sindicato dizem que o Governo é radical; o Governo diz que o Sindicato é radical. Quem PRIMEIRO vai olhar para o próprio umbigo?

    • Qual o juramento feito pelos governadores ao tomarem posse?
      PROMETO MANTER, DEFENDER, CUMPRIR E FAZER CUMPRIR AS CONSTITUIÇÕES DO BRASIL E DO ESTADO DO XXXX, OBSERVAR E FAZER OBSERVAR AS LEIS, PROMOVER O BEM GERAL DO POVO XXXX, DESEMPENHAR LEAL E HONESTAMENTE O MANDATO QUE ME FOI CONFIADO, COM O OBJETIVO DE CONSTRUIR UMA SOCIEDADE LIVRE, JUSTA E SOLIDÁRIA.”
      O Piso do Magistério também é Lei. Vamos Cumprir a Lei?

  • O bom governo é aquele que procura atender os anseios dos seus governados, infelizmente o atual governo com sua intransigência e arrogância, joga para a platéia. E com isso só quem perde é a educação do Amapá que é a pior da Região, segundo índices do IDEB. Ou seja, não faz nem uma coisa nem outra, não dá salários e não melhora os índices. Aonde vamos chegar assim??? Sabemos que as verbas federais são depositadas nas contas do governo religiosamente. Para onde estão indo?, cadê o investimento na educação do Amapá?. A incorporação da regência, benefia aqueles que mamam na teta do governo, aos que estão em sala de aula, continuarão receber a mesma coisa.

  • Querem saber? Caíram como patinhos. O Camilo precisa de um antagonista para encenar seu maniqueísmo. Com uma oposição desmoralizada e com recursos políticos limitados, ele necessita que alguém que cumpra o papel. Se ele não reconstruir a imagem de alternativa à estagnação, irá ver apenas os aspectos viciados de sua administração vir à tona. Ainda mais com poucos avanços nas áreas críticas, que ele prometeu sanear, mesmo sabendo que não poderia cumprir sem desalojar todos os seus aliados de campanha. Reconheço a legitimidade das reivindicações dos profissionais de educação, porém, perderam o bonde. Sofreram muito desgaste ano passado e sem resultados consistentes, não possuem apoio popular e calçaram como luva nos planos do palaciano. Vai soar como peleguice, mas o melhor que podem fazer para desbancar o Jr. é ficar quietos e deixar ele tropeçar sozinho nos próprios cadarços.

  • Coisas que só acontecem no Estado do Amapá. Enquanto em outros estados a bandeira de luta dos professores é pela incorporação das gratificações, aqui é o contrário. Sera o individualismo exacerbado daqueles que estão na ativa em detrimento dos aposentados ou que estão prestes a se aposentar? Será perda de memória dos professores por novamente se deixarem levar por propostas com objetivo de desgastar a imagem do governador, sem que se almeje benefícios para a categoria? (é só recordar da última greve, irresponsável por sinal, que por mero capricho do sindicato os professores deixaram escoar pelas mão um rejuste salarial superior a 16%). Será comodismo de ALGUNS professores para não trabalhar, sabedores que são de que a reposição de aulas é pura balela, em detrimento do aprendizado dos alunos? Quando os professores vão perceber que estão sendo conduzidos por um grupelho, que se esconde atrás de um sindicato, para satisfazer os anseios de pessoas que assaltaram os cofres do Estado do Amapá, que foram presos, que foram conduzidos coercitivamente para prestar depoimentos na Polícia Federal, enlameando nacionalmente o nome do Amapá e que a qualquer custo querem retornar ás atividades criminosas? Será que alguém tem dúvida de que a greve será declarada ILEGAL pelo Poder Judiciário e que serão descontados os dias parados? Após a declaração da ilegalidade, será que o governador vai, novamente, abonar as faltas?Professores, é justo que lutem por vossos direitos, por condições dígnas de trabalho, por aperfeiçoamento na respectiva área de atuação, por melhoria salarial. Entretanto a greve pela greve só traz prejuízos (aos próprios prefessores, aos alunos, à sociedade de modo geral). Lutem pelo PISO SALARIAL. Já foi atingido?, LUTEM por aumento de salário. Lembrem-se: o Piso Salarial é apenas um ponto de partida, ummarco delimitador do MENOR SALÁRIO. É o Salário Mínimo dos professores. Não se deixem conduzir uma uma minoria irresponsável.

    • NINGUÉM PERDE O QUE NÃO TEM OU NEM CHEGOU A TER.
      Como perdeu 16% ? Ninguém perdeu o que não tinha.
      8% foi dado linear isto é para todos,
      outros 8% não foi dado, não tem nada assinado.
      SERÁ QUE SUAS informações são verdadeiras?

  • Acho a greve intempestiva no momento! Ela não afeta o núcleo do poder. Apenas penaliza os filhos dos trabalhadores de menor poder aquisitivo. Filho de professor não está em escola pública, está em escola privada. A sociedade não pode ficar refém de eternas greves por falta de habilidade de gestores sindicais em dialogar. Ora, ano passado se chegou a quase 17% e por inabilidade de compreensão se rifou um importante ganho salarial. O sr. Aroldo tem de puxar as rédeas da negociação para si e tirar esses comandos de greve da rota. Eles só atrapalham e estão contaminados de xiitas partidários com uma visão muita curta e limitada de negociação salarial e compreensão orçamentária. A greve só alimenta e faz crescer em lucros, o ensino privado-pago e sucateia a já combalida escola pública. E convenhamos: a briga não é por uma escola pública de qualidade com aumento de orçamento federal. É uma luta puramente para se obter ganho imediato. Acho, com todo o respeito, que os professores tem pouca compreensão de contexto político e facilmente se deixam levar por cantilenas de momento. Esses assembleísmo e excesso de democratismo em que apenas se levanta o dedo ou a mão para votar é um prática que tem de ser combatida. No contexto atual, a greve dos professores(só de professores e não dos demais segmentos da educação) só encurta a chance de filho(a) de trabalhador(a) de baixa renda a ter uma ascensão educacional e profissional melhor na vida. Estado e professores estão se lixando se a greve vai prejudicar alguém.

    • A questão não é somente a incorporação,mas a forma que foi feita, sem nenhum discussão com a classe, mas caso tenha interesse pode pesquisar como a Paraiba esta sendo governada pelo governo socialista, que apenas aceita as suas idéias e impõem para população como verdades absolutas, acredito que isso seja o papel do socialismo.

  • VAMOS ORAR!
    ORAÇÃO AO SANTO BARBUDINHO
    Oh!Santo Barbudinho
    Vos que adquiriste poder com o voto do trabalhador e hoje está podendo:
    – Levar a conversão o legislativo
    – Fazer com que a maior parte da imprensa lhe venere
    – Jogar a sociedade contra as lutas dos trabalhadores
    – Ou ainda jogar uns contra os outros
    Tenha misericórdia dos pobres educadores do Amapá que:
    – Trabalham em escolas precarizadas
    – Com prédios deteriorados
    – Sem material didático
    – Sem atendimento de saúde
    – Sem condições de continuar estudando
    – Sendo chicoteados pelos gestores
    Atendei aos pedidos dos mesmos com o seu poder, pois, o que eles querem é:
    – O Piso Salarial e não a piza ou a peia
    – Serem atendidos e não agredidos
    – Educar e não grevar
    Oh! Santo Barbudinho, quem sabe eles não lhe ajudam a realizar o milagre da reeleição!
    Os mesmos estão aguardando confiantes ‘‘as vossas bênçãos’’.

  • Sr Governador tira logo essa regência do salario e deixa essa galera se aposentar com o salario seco, ai os cascudos vão lembrar muito do Aroldo.

    • São opiniões dessa do Sr Elton sem conhecimento nenhum da lei orgânica do magistério é que deturbam. Antes de comentar você tinha que verificar que quando o professor se aposentar ele não perderá a regência, tanto é que a Amprev é descontada em cima do subsidio+regência. Antes de falar o que não sabe , vai procurar ler sem ir na conversa dos puxasacos do governo que adoram enganar a população.

    • Tb acho,até pq ele incorporou aos salários de todos os professores,inclusive os que não estão em sala de aula,tá errado.Tira destes que não estão em sala e dá o tal piso salarial, que é direito de todos.Acabem logo com esta novela da Globo,muita enrolação p/pouco efeito…kkkk

  • Com isso ele ganha maior número de professores pleiteando cargo comissionado para serem seu cabo eleitoral nas eleições de 2014. Simples assim! Quem perde com isso os alunos, os professores, a sociedade… ele mesmo!

  • Será que só o Governador não percebeu que a Regência de Classe, já é um DIREITO ADQUIRIDO pelos professores que atuam em SALAS-DE-AULA?…..Acho que ele precisa ACRESCENTAR EM SUA FALA que o AUMENTO só acontecerá para aqueles que estão fora da salas-de-aula….. Essa insistência está dividindo a classe e trará sérios prejuízos aos alunos…..Por favor Governador, será que não é hora diminuir a intransigência e parar de “chover no molhado”?…Faça uma reflexão: quem mais está perdendo com essa crise? Ou ainda, quem está ganhando com essa crise?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *