Leia mais sobre Jozi Araújo, a ex-deputada foragida da polícia

Em dezembro de 2018, após pedido do Ministério Público Federal (MPF), a Justiça Federal determinou o bloqueio de R$ 336.878,43 da então deputada federal Jozi Araújo (Podemos) e mais oito pessoas envolvidas em esquema de criação de sindicatos fantasmas no Amapá.  (Leia mais aqui)

Em abril de 2018 – O Ministério Público Federal (MPF) quer que a presidente da Federação das Indústrias do Amapá (Fieap), Jozi Araújo, sete sindicatos e outras oito pessoas, sejam condenados a ressarcir mais de R$ 300 mil aos cofres públicos. O montante, decorrente de contribuições sindicais, foi arrecadado pela entidade entre 2013 e 2017, após uma série de irregularidades que envolveram a criação de sindicatos e empresas fantasmas para eleger a presidência e administração da entidade, controlada politicamente pela deputada federal Jozi Araújo (Podemos/AP).  (Leia mais aqui)

Em junho de 2016 – A deputada federal Jozi Araújo (PTN) é ré em ação de improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público Federal no Amapá (MPF/AP) e pela Advocacia Geral da União (AGU). Ela é acusada pelos órgãos de fraudar licitação para beneficiar a Cooperativa de Transporte do Amapá (Transcoop) quando era gestora do Departamento Regional do Sesi/Senai, em 2013. As irregularidades resultaram em prejuízo de aproximadamente R$ 800 mil ao erário. A ação teve base em relatório da Controladoria Geral da União (CGU) que constatou irregularidades no processo licitatório para locação de veículos para atender às demandas dos Departamentos Regionais do Sesi e do Senai. (Leia mais aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *