Macapá terá primeira clínica-escola do autista

Macapá vai ter a primeira clínica-escola voltada ao tratamento de alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA) da rede municipal de ensino da capital.

A clínica-escola será um espaço com equipe multidisciplinar que vai oferecer assistência especializada aos alunos autistas. A implantação do espaço é inédita e vai reforçar o processo de ensino e o atendimento de saúde no contraturno das aulas.

De acordo com o prefeito de Macapá, Antônio Furlan, a expectativa é que o espaço entre em operação em abril. “Abril é o mês do autismo, e nada mais justo do que entregar esse espaço na data que simboliza a conscientização da sociedade para a questão do Transtorno do Espectro Autista. Nossa rede municipal conta com mais de 500 alunos, e vamos reforçar a qualidade de vida dessas crianças”, destaca.

A clinica-escola vai fazer o acompanhamento multiprofissional e multidisciplinar e também o rastreio de crianças neuroatípicas. Fonoaudiólogos, psicólogos, psiquiatras, fisioterapeutas, nutricionistas, pedagogos e terapeutas passarão a interagir com as crianças e a orientar os pais com tarefas do dia a dia que ajudam, por exemplo, no desenvolvimento motor delas.

“Na educação da criança com autismo, devemos trabalhar com atividades que estimulem a resolução de problemas e a independência em situações cotidianas. A qualificação da nossa equipe é fundamental para trabalhar de maneira flexível, adequado às situações de uma sala de aula inclusiva”, ressalta Rayssa Furlan, secretária de Mobilização e Participação Popular.

Estrutura
O prédio da clínica-escola é acessível, com térreo e pavimento, incluindo acessibilidade. A estrutura contará com salas de acolhimento, atendimento, fisioterapia, serviço social, pedagógica e de atividades coletivos. Além disso, a clínica-escola também terá espaço multiuso, voltado a dança, jogos e atividades diversas e sala de Atividades de Vida Diária (AVD).

A clínica-escola funcionará na Avenida Procópio Rola, no bairro Pacoval e o espaço foi estrategicamente escolhido por estar na região central da capital, com ampla oferta de transporte coletivo.

Atendimento
Os pacientes assistidos, de 0 a 10 anos, serão encaminhados a partir das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e das escolas da rede municipal. O projeto é uma realização integrada das secretarias municipais de Mobilização e Participação Popular, Planejamento, Educação e Saúde.

Os atendimentos semanais serão feitos de acordo com as características de cada aluno e isso estará alinhado ao plano de intervenção, que será individualizado e produzido após a avaliação e diagnóstico da criança.

(Secretaria Municipal de Comunicação Social)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.