Médicos fazem manifestação nesta quarta-feira

Os médicos farão nesta quarta-feira, 3, protesto em defesa do SUS e por melhores condições de trabalho e de atendimento. A intenção é mostrar ao governo que o Brasil não precisa de médicos importados, sem a revalidação de diplomas, mas de infraestrutura e de gestão competente no SUS. O movimento tem o apoio do Conselho Federal de Medicina (CFM), da Associação Médica Brasileira (AMB), da Associação Nacional de Médicos Residentes (ANMR) e da Federação Nacional dos Médicos.

Para as entidades as medidas anunciadas recentemente pelo governo são inócuas e paliativas, pois não oferecem soluções de longo prazo. Também mostram que o principal problema, o baixo investimento estatal em saúde, continuará sem solução. No Brasil, o Estado responde por 44% dos gastos em saúde, quando em países com sistemas universais como o brasileiro, esse gasto gira em torno de 80%.

Protesto no Amapá – Na capital Macapá, os médicos vão se concentrar a partir das 9h da manhã, desta quarta-feira, em frente ao Conselho Regional de Medicina do Estado do Amapá (CRM-AP), na Av. Feliciano Coelho, 1060, no bairro do Trem, em Macapá- AP, para distribuir cópias da Carta Aberta à População, elaborada pela AMB, CFM, Fenam e AMNR. Às 9h30 os profissionais falarão com a imprensa sobre suas reivindicações. Na oportunidade será falado sobre o resultado da fiscalização realizada pelo CRM-AP na Unidade Mista de Saúde de Ferreira Gomes (segue abaixo informações sobre a fiscalização).

Faixas e cartazes serão fixados na fachada do prédio do CRM-AP e caixas de som vão estar à disposição para que os médicos façam seu protesto. A manifestação pacífica vai incluir a suspensão do atendimento eletivo na rede pública. De acordo com o presidente do Sindicato dos Médicos do Amapá, Fernando Nascimento, os atendimentos de urgência e emergência não serão afetados.

Perfil médico no AP – O CRM-AP tem 696 médicos inscritos. A maioria se concentra na capital. Mesmo assim, Macapá é a capital do país com menor número de profissionais. A cidade tem 1,38 médico para mil habitantes. O dado é do estudo Demografia Médica no Brasil – volume II. Uma produção do CFM e do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp). De acordo este levantamento, o Amapá tem 0,95 médico para mil habitantes. Só fica na frente do Pará, que tem 0, 84 e do Maranhão, que possui 0,71.

(Elyerge Paes – Assessoria de Imprensa do Conselho Regional de Medicina do Amapá )

  • Não acho que aqui haja tanta carencia de médicos,falta é compromisso de alguns.Falta tb organização,estrutura e melhores condições p/o atendimento ao público.Hospital São Camilo tá UÓ,as pessoas que estão lá p/ acompanhar seus doentes,acabam fazendo o serviço que cabem aos profissionais da saúde.Um absurdo!

  • Quem venha logo pro Amapá os médicos estrangeiros !!!
    Uma boa parte da classe médica no Amapá só pensam em $$$$$$$$$. As consultas médicas variam de preços: R$ 150,00 a R$ 600,00 reais. Quem não pode, que procure na rede pública.
    Boa noite a todos e que Deus nos proteja.

  • SE E UMA COISA QUE OS MEDICOS AQUI NO AMAPA NÃO PODEM RECLAMAR E DO SALARIO QUE RECEBEM,GANHAM MUITO BEM ,MAS TRATAM AS PESSOAS MUITO MAL,TEM MÉDICO QUE NEM OLHA NA CARA DO DOENTE OUTROS NÃO SABEM SE OUVEM O PACIENTE OU ATENDEM CELULAR.

  • Acredito que se o governo aumentar o numero de médicos e investir na atenção básica,saneamento gerenciar melhor os serviços da saúde quem ganha com isso ea população.a relação oferta e procura quando se trata de aumentar o numero de profissionais ,desde seja feita de forma consciente o maior beneficiado é o povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *