Notícia para os professores sobre o Plano Collor

O ministro Gilmar Mendes recebeu nesta terça (10) em seu gabinete no Supremo Tribunal Federal, em Brasília, os senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Davi Alcolumbre (DEM-AP), e João Capiberibe (PSB-AP) para dizer que vai colocar em pauta, ainda neste primeiro semestre do ano, o Plano Collor dos professores federais do Amapá.

“Eu quero colocar em pauta o quanto antes. O cenário está conturbado com muitos eventos pra julgar, mas minha prioridade é emplacar a pauta do Plano Collor até o meio do ano. Depende muito das pautas do Supremo, mas eu já deleguei à minha equipe que atenda a demanda. Há prioridade, sim”, garantiu o ministro aos senadores amapaenses.

A ação que garante a devolução no valor nos contracheques dos servidores foi movida pelo Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Ceará e criou precedentes para os professores amapaenses. “Saímos muito satisfeitos da audiência. O ministro demonstrou que vai priorizar o caso que está há anos à espera de uma solução”, disse Randolfe.

Randolfe lembrou ainda que essa perda salarial representou uma crise financeira na vida dos educadores. “Na economia amapaense, o peso dessa conquista salarial dos trabalhadores é fundamental para a mobilização da economia no Amapá. Um professor que, há 16 anos, tem um planejamento salarial com uma gratificação que corresponde a 60% do seu vencimento, e, do dia para a noite, ter usurpada, ter retirada do seu contracheque essa porcentagem, é um abalo muito grande. Precisamos fazer justiça aos profissionais da educação”.

(Assessoria de comunicação do senador Randolfe)

  • Ao ler o nome Collor, lembrei de sua saída do poder, taxado como ladrão. E comparei com a atual administração do PT.
    Como disse Cicero, a história é a mestra da vida. e não podia ser diferente. Na comparação, o Collor é um menino de jardim de infância, diante da companheirada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *