“Operação Lucilius” prende empresário no Amapá

O Ministério Público do Amapá e a Polícia Civil deflagraram na manhã de hoje a “Operação Lucilius” – que é um aprofundamento das investigações do assassinato de Fernando Queiroz, sócio da empresa de vigilância LMS, ocorrido em fevereiro em Macapá.
Quatro mandados de busca e apreensão e dois de prisão temporária foram cumpridos. Foram presos um agente penitenciário e o empresário Luciano Marba, dono da LMS e presidente de um clube de futebol. Eles são suspeitos de envolvimento no assassinato de Fernando Queiroz.
Queiroz foi executado com vários tiros na madrugada de 23 de fevereiro quando chegava na sua casa, um condomínio no bairro do Laguinho. Minutos antes ele havia ligado para o 190 informando que estava sendo seguido e que queriam matá-lo. Quando a polícia chegou ele já estava morto na garagem do condomínio. No dia 2 de março quatro homens – entre os quais um menor – foram presos acusados do assassinato, mas uma semana após a prisão foram soltos por ordem judicial.
Em maio, a mulher de Fernando Queiroz foi indiciada como mandante do crime.
As investigações continuaram e resultaram na “Operação Lucilius”, comandada pelo delegado Leandro Leite.
Ao ser preso, Luciano Marba disse que é inocente, vai responder o que tiver que responder e depois processar o Estado.
Neste momento, Luciano Marba está sendo conduzido para o Iapen (a penitenciária do Amapá)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *