Pacientes e enfermeiros fazem protesto em frente ao HE

he1Faltando menos de 48 horas para as eleições, pacientes internados no Hospital de Emergências fazem mais uma vez protesto na frente do Hospital (na rua Hamiltom Silva) cobrando mais atenção do governo. Eles dizem que alguns estão até há meses esperando por cirurgia ortopédica. Reclamam também da super lotação. Construído há décadas, o Hospital de Emergências é pequeno para atender a demanda. O resultado disso são pacientes internados nos corredores, em cadeiras, em colchões no chão.
Desta vez, enfermeiros e auxiliares de enfermagem se juntaram aos pacientes e foram para rua com eles protestar.

he2
(Fotos enviadas ao blog pelo aplicativo WhatsApp)

  • Até parece que na época do Waldez esse hospital era decente! Era e continua sendo um horror, minha mãe precisou ficar internada lá por uma semana com problemas cardíacos numa enfermaria lotada, ao lado de pessoas com problemas igualmente grave, além de um paciente com problemas mentais que ficava gritando e não deixava ninguém dormir. Tínhamos que comprar a maior parte dos remédios que ela tomava, que não eram nada baratos, mas felizmente conseguimos, mas vimos pessoas mais humildes desesperadas por não ter como comprar os remédios. Um absurdo, um descaso total. E todo mundo sabe disso, alguém não sabe?! A verdade é que ninguém se importa, afinal tendo meu cargo de confiança (sendo azul ou amarelo) por que eu iria me preocupar com as pessoas que estão internadas no HE? Ou com as crianças que saem da “aula” todo dia 9 da manhã porque não tem lanche? Ou se a minha rua não tem asfalto? Alguém aí sabe e se preocupa com o fato do Amapá não ter rede de esgoto? É essa a realidade do Amapá. Todos olham pro próprio umbigo, as pessoas são extremamente egoístas. Eu lamento porque com esse pensamento não sei onde vamos parar.

  • Infelizmente a solução do “caos da saúde” não se resume, tão somente, a construção de espaços físicos. Afinal, a necessidade do enfermo não pode esperar a (in)competência do gestor.
    Precisa, principalmente,,daquilo que o povo não vê, mas sente, ou seja, um atendimento, em tempo hábil, adequado e humano.
    Precisa de condições de trabalho adequadas, ao pessoal técnico, para desenvolvimento de suas atividades profissionais (laborais).
    Precisa de medicamentos a serem disponibilizados, quando solicitado.
    Precisa de materiais, que sejam necessários, para a efetivação dos procedimentos clínicos requeridos para a sobre vida.
    Precisa de setores e/ou equipamentos para diagnósticos que funcionem, a fim de auxiliar no diagnóstico e consequente tratamento.
    Os procedimentos exigidos, para a manutenção da vida, requerem imediatismo. Não podem esperar por “decisão judicial”.
    O ATENDIMENTO ADEQUADO A SAÚDE É UMA OBRIGAÇÃO (DEVER) DO ESTADO E UM DIREITO DO CIDADÃO. POIS QUANDO PAGAMOS IMPOSTOS (ORIUNDOS DO NOSSO TRABALHO), O GOVERNO É, SIM, RESPONSÁVEL, TAMBÉM, PELA SAÚDE PÚBLICA DE, NO MÍNIMO, BOA QUALIDADE.
    Sendo assim, é uma obrigatoriedade, do gestor, prezar pela qualidade da saúde e de outros serviços (educação, segurança e outros).
    Enfim, parabenizo o Corpo Clínico pelo seu posicionamento ético e profissional; bem como pela solidariedade àqueles que estão “a mercê” da sorte…

  • Essa é a saúde de qualidade que o Kausmilo tentou enfiar de goela abaixo no debate da TV Amapá para os telespectadores desenformados, para a maioria dos amapaenses certamente ele não engana, quando o assunto é saúde pública, se o leitor tiver dúvida, sugiro visitar um hospital público a qualquer hora do dia ou da noite.

    • Vamos viver na merda com wg! Nem um tijolo ele colocou na saúde e Educação! Merenda era de péssima qualidade, isso qnd tinha!
      Bom, tds vamos pagar pelo erro da maioria, e mt irão morrer sem saúde!!!

  • Tenho certeza que o Waldez tem culpa de termos hj essa situação, visto não ter construido nenhum hospital e ainda ter sumido com o dinheiro da saúde.

  • Não deixo de sensibilizar-me com a situação da saúde do Amapá, decorrente da má gestão e dos desvios de dinheiro público. Realidade não só estadual, mas municipal e nacional.
    Mas, sinceramente, para quem dirige na Capital sabe muito bem da loucura que é transitar nas nossas ruas e avenidas. Além de motoristas imprudentes e apressados, há toda sorte de infrações praticadas por motoqueiros que só faltam passar por cima dos carros e dos pedestres, e os que dirigem ônibus e caminhões que pensam serem donos das ruas. E mais, pais transportando filhos pequenos nas garupas das motocicletas, correndo grande riscos de caírem, pois sequer alcançam o descanso dos pés.
    E no final das contas, o resultado é tudo isso. Filas nos hospitais e longas esperas por cirurgia ortopédica decorrentes de uma demanda que só cresce.

    • Calma, que dizer que compro um bem (celular) não posso usar na rua pois estou chamando atenção de ladrão, não posso comprar um carro melhor, tb, não posso construir uma casa melhor, se não vou chamar atenção. Então para que serve as pessoas que elegemos para nos representar. Se formos pensar assim, não deveriamos cuidar da maioria dos pacientes, pois as grande maioria das doenças e decorrente de mau cuidado com o corpo.

  • Agora só falta dizerem que foi o Waldez que colocou o povo na rua, e bom lembra que essa situação aconteceu o ano todo

    • Compre uma sucata(carro velho) e tente se locomover com facilidade de um carro novo.Camilo continua arrumando àquilo que pegou quebrado.Uma UPA acaba de ser inaugurada.Qual governo anterior fez isto,no stado que por décadas tinha apenas um pronto atendimento.Povozinho ignorante….logo,logo irão ter o governo que merecem.Só lamento que respingue em quem não merece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *