Sábado tem Feira da Mulher Rural na praça

O GEA, através da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) realiza neste sábado, 10, das 8h às 15h, na Praça Veiga Cabral, ao lado do Teatro das Bacabeiras no centro de Macapá, mais uma edição da Feira da Mulher Rural, com a finalidade de proporcionar a inserção e geração de renda às mulheres trabalhadoras rurais, por intermédio da comercialização de suas produções.

A ação faz parte do programa PROAMAPA RURAL, criado pelo GEA para desenvolvimento da agricultura familiar sustentável, o programa injeta investimentos no setor produtivo, integrando as várias frentes que formulam e executam as políticas para o desenvolvimento rural.

A Praça Veiga Cabral será mais uma vez um grande palco para a comercialização de produtos de qualidade e principalmente com preços acessíveis aos amapaenses. Cerca de 190 agricultoras rurais de várias comunidades estarão comercializando seus produtos na feira da mulher rural, entre elas, a Comunidade de Colônia do Matapí, Vila do Rio Preto, Assentamento Piquiazal, Lourenço, Cedro, Água Branca, Gurupora, Livramento, Maruanum, Pedreira, Ilha de Santana e Comunidade de Bom Jesus.

“As mulheres representam 43% da mão de obra agrícola nos países em desenvolvimento e mais de 70% da força de trabalho em algumas economias baseadas fundamentalmente na agricultura. Desta forma o GEA, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural, vem investindo no setor agrícola para garantir que essas mulheres possam ter um retorno financeiro garantido, e como consequência, uma melhora na qualidade de vida”, ressaltou Cristina Almeida, secretária de Desenvolvimento Rural.

Produtos comercializados na feira da mulher rural: Macaxeira, farinha de mandioca, verduras e frutas, plantas medicinais e aromáticas, castanha do Brasil e seus derivados, doces e biscoitos, polpas de frutas, além de artesanato.

(Secom)

  • Só acho errado o local. Já temos bem definidos os locais de nossas feiras. P q esses eventos ñ ocorrem no local da feira do produtor?
    E a mulher não é produtora?
    P q tem que fazer uma feira num marco cultural da cidade?
    Com a palavra a Prefeitura, que é quem ordena a ocupação da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *