Todos de bike – Projeto de Randolfe incentiva uso de bicicletas

Projeto de Randolfe  incentiva uso de bicicletas nas cidades

O texto, originalmente apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP), que insere os bicicletários na Política Nacional de Mobilidade Urbana foi aprovado na Comissão de Viação e Transportes da Câmara Federal , na forma do projeto (PL 2764/15). O Projeto inclui ainda o transporte cicloviário na lei que trata da Política de Nacional de Mobilidade Urbana (Lei 12.587/12) e faz ajustes no Estatuto das Cidades (Lei 10.257/01).

O PL prevê a adoção de ciclovias ou ciclofaixas em projetos e obras de construção, ampliação ou adequação do sistema viário urbano, além da implementação de infraestrutura de apoio, como bicicletários, paraciclos e sinalização. Ficam excluídas desta obrigação cidades com relevo acidentado, impróprios para o uso de bicicletas, ou vias históricas cuja localização, característica histórica, função na hierarquia viária e dimensões impeçam obras para seu compartilhamento entre os diversos tipos de veículos.

“Nossa ideia é a de contornar a crise de mobilidade que afeta a maioria das cidades, evitando congestionamentos nas vias públicas, além de redução no número de acidentes, bem como a redução da poluição, tendo em vista que a bicicleta serve como alternativa de transporte mais barato, saudável e sustentável”, explicou Randolfe .

Tramitação do Projeto
O projeto tramita em regime de prioridade. Antes de ser votado em Plenário, será analisado pelas comissões de Desenvolvimento Urbano; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

(Fonte: http://blogdorandolfe.com.br)

  • Que tal um projeto para os parlamentes adotarem essa medida, para não usarem veículos do estado. Além disso, pagar aluguel e não viver em apartamento de propriedade da união. Reduzir os ganhos só nível de um executivo normal. Que tal outro projeto onde nenhum parlamentar se aposenta, afinal é uma honra servir ao país e esse cargo não é emprego. Conto com a sua iniciativa, nobre deputado e cidadão. Vamos estender essas medidas a todos os cidadãos,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *