Trecho sul da BR-156 será asfaltado no verão

Nesta quarta-feira (8) o Governo do Amapá divulgou que o Exército Brasileiro assumirá parte das obras de asfaltamento da BR-156 Sul, que liga Macapá ao município de Laranjal do Jari. Essa alternativa foi trabalhada por anos pelos senadores Randolfe Rodrigues (REDE-AP) e Davi Alcolumbre (DEM-AP), que se empenham desde o início de seus mandatos para que as Forças Armadas auxiliem na pavimentação da estrada. O acordo foi fechado entre o poder executivo estadual, Departamento de Engenharia e Construção do Exército e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), em Brasília (DF).
O acordo prevê que o Exército fará as obras do trecho mais próximo de Laranjal do Jari. O DNIT assumirá dois lotes intermediários e o Governo do Amapá o trecho mais perto de Macapá, de 60 km. Os serviços começarão no próximo verão, logo depois da implantação do Comando de Brigada em Macapá.
A obra da BR 156 é a mais antiga em curso no Brasil. São mais de 70 anos sem conclusão.

A rodovia é considerada por Randolfe a coluna vertebral do Amapá, une do Oiapoque a região do Jari. Na obra, faltam 112 km de pavimentação no trecho Norte, em Macapá, e 244 km no trecho Sul, na região do Jari.

 

Luta antiga
Desde que foi eleito, Randolfe luta, com a ajuda da bancada, para a pavimentação da estrada. No dia 1 de março de 2012, o senador, juntamente com a Bancada Federal, foi recebido pelo então ministro dos transportes, Paulo Sérgio Passos. Na época, os parlamentares pediram apoio para concluir a obra do trecho sul das BR’s 156 e 210, cuja previsão para a conclusão do trecho norte, até o município de Oiapoque, no verão de 2013, não ocorreu.
No dia 29 de janeiro de 2015, Randolfe esteve em audiência com o então Ministro da Defesa, Jaques Wagner, para debater paralisação das obras da BR-156. O Exército Brasileiro assumir a obra foi uma alternativa cogitada em 11 de junho de 2015, mas esse acordo também não se concretizou, pelo mesmo motivo do acerto anterior. O comandante geral das Forças Armadas à época era o Eduardo Dias da Costa Villas Boas, que disse que seria possível, quando procurado pelos senadores Randolfe Rodrigues e Davi Alcolumbre.
Já em 1 de setembro de 2015, mesmo com quase R$ 35 milhões em conta, inclusive com emendas da Bancada, o GEA manteve obra da BR-156 paralisada. Durante audiência realizada nesta data, com a presença dos senadores Randolfe Rodrigues e Davi, além de uma delegação de vereadores do município de Oiapoque e dos municípios de Laranjal do Jari e Vitória do Jari, o ministro dos transportes, Antônio Carlos Rodrigues, informou que foi disponibilizado para o Governo do Amapá o recurso para pavimentação da estrada. Na ocasião, os congressistas pediram que o DNIT assumisse a obra, mas o diálogo não surtiu efeito por conta de vontade política dos governos estadual e federal.
No dia 28 de abril de 2016, Randolfe e Davi voltaram a se reunir com o  comandante do Exército Brasileiro, General Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, que afirmou não haver nada que impedisse o comando de assumir a obra, para isso, porém, o Estado do Amapá devia, formalmente, ceder a execução dos serviços para o exército.
Em 30 de junho do ano passado Randolfe reuniu com o superintendente (DNIT) Fábio Vilarinho, para verificar o que atravancava a finalização da obra da BR-156. Durante o encontro, que contou com a então prefeita de Laranjal do Jari, Nazilda Fernandes e prefeito de Vitória do Jari, à época, Dielson Souza, e vereadores, o DNIT informou que desde 2013 a manutenção da rodovia é responsabilidade do Governo do Amapá. Segundo o superintendente, o convênio se estendia até 31 de dezembro de 2016. “Entre 2006 a 2016, foram repassados para o Governo do Amapá mais de R$ 112 milhões para a manutenção da BR-156”, disse Vilarinho.
O senador Randolfe ainda acionou o Ministério Público Federal (MPF), esteve no Tribunal de Contas (TCU), reuniu com o Ministério dos Transportes, além de denunciar a situação no Senado Federal, inclusive esteve com o Exército para buscar alternativa para a conclusão da pavimentação. Mais uma vez o projeto ficou parado.
“Parabenizo o governador Waldez por levantar essa bandeira, a qual defendemos há muito tempo. Com a ajuda do senador Davi, fomos a várias reuniões e dialogamos diversas vezes com o DNIT e Exército. O povo da região sul do Amapá já sofreu demais com os atoleiros e erosões frutos do abandono da BR-156, assim como a população de Oiapoque. Precisamos resolver de uma vez por todas a trafegabilidade na estrada, que é a coluna vertebral do Amapá. Continuaremos trabalhando agora pela pavimentação asfáltica até Oiapoque”, garantiu Randolfe Rodrigues.
(Texto: Assessoria de comunicação do senador Randolfe)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *