Triste realidade

Na área nobre da cidade, entre a residencial oficial do governador e o majestoso rio Amazonas, está a maior cracolândia de Macapá. Um quadro triste, muito triste. Gente de todas as idades se drogando ali a qualquer hora do dia e da noite; dependentes químicos que abandonaram suas famílias ou foram por elas abandonados moram nesse lugar, dormem no chão em meio ao lixo que produzem.
Essa semana, a Polícia fez uma varredura no local e lá encontrou meninos e meninas, menores de idade, trajando uniforme escolar. Enquanto os pais pensam que eles estão na escola, eles estão na cracolândia.
O poder público tem que fazer urgentemente alguma coisa para salvar essas pessoas. Macapá ainda é uma cidade pequena, portanto ainda não é tão difícil combater o tráfico, executar políticas públicas que tirem essas pessoas do mundo das drogas e que impeçam que outras sigam este caminho que só leva à destruição.
Basta querer, basta ter vontade de resolver.
Que se faça logo enquanto é tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *