Um crime contra a arte, cultura e patrimônio do Amapá

Objetos históricos jogados no chão, obras de arte empoeiradas jogadas sobre uma mesa mais suja ainda, ossadas em caixas abertas e sem identificação. Todo esse desrespeito com a nossa história e muito mais foi constatado hoje na bicentenária Fortaleza de São José de Macapá, durante  uma vistoria técnica feita  por integrantes do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Corpo de Bombeiros (CB/AP), Governo do Estado (GEA) e Prefeitura de Macapá (PMM).

  • Lastimável e lamentável….porque tanto descaso com a nossa história? É de cortar o coração deixar esse patrimônio ser dizimado.
    Eu estive lá no último dia 16 de outubro. Não tinha expediente sob a alegação de que era o dia seguinte da eleição. Justiça seja feita: a segurança me tratou muito bem… inclusive, a segurança ligou para um funcionário, e ele, por telefone, me deu orientação de como prosseguir minhas pesquisas.

  • Por volta de 2011, em uma viagem que fiz a Macapá, visitei a Fortaleza de São José de Macapá e registrei várias imagens, externas e internas. Uma das imagens que registrei foi dessa urna, que se encontrava fechada, mas já apresentava sinais de abandono. Até achei esquisito aquela situação. Não posso mostrar a imagem agora porque não a tenho arquivada em nuvem e estou viajando, e só estarei em Belém no início de dezembro. Mas quando retornar vou procura-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *