Um poço misterioso

Foto: Nayana Magalhães

As fortes chuvas que caíram em Macapá nos últimos dias acabaram por revelar algo intrigante: um poço (foto acima), muito bem feito, com cerca de cinco metros de profundidade sob a camada asfáltica da avenida Marcílio Dias entre as ruas Eliezer Levy e General Rondon, no bairro do Laguinho.
Com as chuvas torrenciais e o grande tráfego de veículos parte da camada asfáltica rompeu e o misterioso poço apareceu hoje pela manhã.
Ninguém sabe há quanto tempo ele estava lá escondidinho. Dona Maria Adilair Mendes, que mora ali há mais de meio século, disse que nunca tinha visto o tal poço, nem mesmo quando a rua ainda não era asfaltada. “Todo mundo por aqui ficou assustado hoje de manhã quando viu isso”, disse.
Historiadores e curiosos ficaram intrigados. Uns imaginam que ele foi cavado pelos índios que viveram naquelas bandas há mais de cem anos; outros acham que isso é obra de escravos que se amocabaram por ali na época da construção da Fortaleza de São José e há quem diga que nem uma coisa nem outra. “Aqui era interior, vai ver que os caboclos que moravam aqui abriram o poço e depois que a cidade cresceu se mudaram e o poço foi aterrado”, disse um senhor de 72 anos.
Os curiosos correram para ver o “achado”. E teve gente que até jogou moedinha fazendo um pedido imaginando tratar-se de um mágico poço dos desejos. E cada um contou uma história escrita pela fértil imaginação.

Mas teve gente que não quis saber de historinhas, lendas, moedinhas, índios ou escravos. A preocupação  era evitar que ocorresse algum acidente. Daí pediram que a Prefeitura urgentemente “tapasse o buracão”. A Prefeitura atendeu. E hoje mesmo, à tarde, o trabalho foi executado para alegria de quem trafega por lá e tristeza de historiadores, pesquisadores e sonhadores.

 

  • Deve ser obra secreta do metro de Macapá, deveria se tornar pública as vésperas das eleições, como sempre acontece com obras faraônicas, começa no início dos mandatos e termina no fim ou seja no início da próxima eleição, certamente deverá ser inaugurada com discurso e tudo mais que tem direito “o pai da criança”. E a palha mano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *