Violência doméstica

O governo do Amapá está reativando as unidades do Cram   de Mazagão, Oiapoque, Laranjal do Jari e Porto Grande e deve nomear nesta segunda-feira seus  coordenadores. Isto faz parte das ações de combate à violência doméstica que tem crescido a cada ano no Amapá.
Ano passado foram registrados 1.342 casos de violência doméstica em todo o Estado. Uma pesquisa da Promotoria de Defesa dos Direitos da Mulher revela que a maioria dos agressores possui renda baixíssima (no máximo um salário mínimo) e as agredidas não tem renda própria. A mesma pesquisa aponta que  os motivos estão frequentemente ligados a falta de diálogo do casal, intolerância e ciúmes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *