Morre aos 91 anos Zygmunt Bauman, pai da ‘modernidade líquida’

Da Agência Ansa

Nascido em 19 de novembro de 1925, em Poznan, na Polônia, Bauman serviu na Segunda Guerra Mundial e tem uma extensa biografia com reflexões sobre a sociedade e as mudanças do mundo atual.

Sua principal teoria, com a qual ficou mundialmente conhecido, é a da chamada ‘modernidade líquida, que aborda  a “liquidez” das relações sociais na modernidade e pós-modernidade e abriu um vasto campo de estudos para diferentes áreas, como a filosofia, a cultura, o relacionamento humano. A teoria tem foco no individualismo e na efemeridade das relações – e até mesmo na revolução que as mídias digitais trouxeram para a sociedade moderna.

Ativo, mesmo aos 91 anos, Bauman não parava de trabalhar em livros e teorias, sendo um dos maiores filósofos e sociólogos do fim do século 20 e início do século 21. Grande parte das suas obras foram traduzidas para o português e o seu último livro lançado no Brasil foi “A riqueza de poucos beneficia todos nós?”.

Do G1

Zygmunt Bauman, sociólogo e filósofo polonês, morre aos 91 anos

Intelectual foi um dos mais importantes do século XX e ficou conhecido como criador do conceito de ‘modernidade líquida’. Ele é autor de ‘Amor líquido’ (2003); causa não foi divulgada.

O sociólogo e filósofo polonês Zygmunt Bauman, criador do conceito de modernidade líquida e considerado um dos principais intelectuais do século XX, morreu nesta segunda-feira (9) em Leeds, na Inglaterra, aos 91 anos, inforrmou o jornal “Gazeta Wybocza”. A causa da morte não foi divulgada.

Em seus livros como “Amor líquido” (2003), Bauman discutiu como as relações da sociedade tendem a ser menos frequentes e duradouras. Esse conceito da “modernidade líquida”, para ele, valia para campos tão distintos como arte, relacionamentos, economia e política, por exemplo.

Ele trabalhava como sociólogo e professor emérito de sociologia na Universidade de Leeds havia mais de 30 anos. Sua obra se caracterizou obra por uma visão crítica da sociedade pós-moderna e globalizada.

Ao longo de sua carreira como escritor, que iniciou na década de 1950, Bauman desenvolveu uma sociologia crítica e emancipadora. Abordou temas como as classes sociais, o socialismo, o Holocausto, a hermenêutica, a modernidade e a pós-modernidade, o consumismo e a globalização.

Dentre suas obras destacam se “Modernidade líquida”, “Amor líquido: Sobre a fragilidade dos laços humanos, “Europa, uma aventura inacabada”, “Ética pós-moderna”, “Tempos líquidos” e “Vida para consumo”. (Leia mais)

  • Li o livro Amor liquido…
    Texto esclarecedor e instigantes para refletir as temporalidade e as fragilidades das relações humanas na atual sociedade tecnológicas atuais…
    Mas creio,que o seu pensamento apenas aponta para mais problemas e questões futuras…cabe a cada período de tempo,rever e atualizar as
    Suas visões…afinal neste tempos líquidos..tudo tende a ser muito transitoriamente e mutativo em estado que escapa ao senso comum das pessoas no Mundo social que vivem no meio Tecnológico predominante utilitário e descartável de hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *