Cabaré dos Bandidos

Escritor paraense Salomão Larêdo relança importante romance de crítica social: Cabaré dos Bandidos.
Publicado originalmente em 1989 como “Guamares: Cabaré dos Bandidos”, será relançado no dia 13 de setembro, na livraria Fox, em Belém, agora com o título invertido “Cabaré dos Bandidos: Guamares”

O Guamá é um bairro conhecido em Belém, no Pará, por apresentar problemas universais das periferias brasileiras: habitação precária, falta de saneamento básico, pouca infraestrutura de saúde, educação e transporte. Nesse microcosmo o escritor paraense Salomão Larêdo imergiu para escrever “Guamares: Cabaré dos Bandidos”, lançado originalmente em 1989, como uma crítica social. Agora, quase 30 anos depois, o título será relançado pela editora Empíreo, no dia 13 de setembro, às 17h, na livraria Fox, na capital paraense. A entrada é gratuita.

Para esta nova edição, a novidade é a escolha pelo título invertido. A obra chama-se “Cabaré dos Bandidos: Guamares”, opção estética do editor e filho de Salomão, Filipe Larêdo, que coordena a Empíreo. A narrativa ficcional apresenta esse lugar, o tal cabaré dos criminosos, que de fato existiu até a década de 1960, naquele bairro, com os personagens Herma Verônica, Jeones e Tumezão, dentre tantos outros, que representam o cotidiano do povo pobre.

A escrita tem como marca a presença de gírias e palavreados do caboclo paraense, como “‘biqueira” e “carapanã”, além da descrição de cenas nas chuvas, nas beiradas do asfalto ou do rio, tal qual a paisagem de uma Belém abandonada – o que pode ainda ser constatado nos dias de hoje. Também são descritos hábitos antigos como as rinhas de galo e as festividades periféricas, além da cultura do jogo do bicho.

O autor tomou conhecimento desse peculiar local num encontro com um amigo de seu pai, chamado Taco, na Estrada Nova. “Fomos conversando pelo caminho e ele, depois de contar inúmeras peripécias, disse-me que, no rumo de sua moradia, entraria numa daquelas inúmeras ruelas do Guamá. Já nos despedindo, quis saber e perguntei onde ele morava. Taco, estatura mediana, caboco de fala fácil, espalhada, sotaque engambelado, prosista cheio de manha e bossa, traje estranho, mas coração generoso, respondeu: no Cabaré dos Bandidos”, relembra o autor.

Sobre o Guamá

O bairro do Guamá chama atenção do escritor e faz parte do seu dia a dia desde os tempos em que veio morar na capital, saindo da Vila do Carmo, em Cametá, com apenas 10 anos. Morador da Cremação, volta e meia os vizinhos contavam histórias de festas e romances que aconteciam no bairro ao lado. Depois, em 1971, quando ainda estudava no campus da UFPA, costumava ir a pé pela Estrada Nova até a sala de aula, onde aprimorou a observação das ruas e beco guamenses e também do seu povo.

“Existem muitos guamares em Belém e na Amazônia, com tanta desigualdade social em seus becos e passagens. Ficava atônito com aquilo. Escrevi com consciência social e senso de justiça, já graduado e com outra condição de vida. O livro também traz a diversão, as festas de aparelhagens, os bois-bumbá, e a maneira como os menos abastados se articulam em meio às dificuldades, os traços de solidariedade. É um Salomão que queria fazer da sua palavra a arma em defesa dos oprimidos, dos pobres, das minorias que são maiorias”, explica o escritor.

Sobre o autor
Salomão Larêdo nasceu em Vila do Carmo, Pará, em 1949, e mudou-se para a capital Belém, com a família, aos dez anos de idade. Depois de diversos livros de poemas e contos, publicou seu primeiro romance, “Sibele Mendes de amor e luta” em 1984, com o qual estreou e abriu caminho para uma estética que posteriormente viria a se concretizar em um de seus maiores clássicos: “Cabaré dos Bandidos”, originalmente publicado como Guamares, em 1989. De profunda relevância no cenário literário amazônico, em sua vasta obra destacam-se também: “Senhora das Águas” (1982), “Remos de Faia” (1991), “Chapéu Virado” (2001), “Palácio dos Bares” (2003), “Olho de boto” (2015) e “As Icamiabas” (2017).

Serviço
Relançamento do livro “Cabaré dos Bandidos – Guamares”, de Salomão Larêdo
13/09/2018 (quinta-feira)
17h
Fox Livraria (Tv. Dr. Moraes, 584 – Batista Campos/Belém)
Entrada gratuita
Informações:
Editora Empíreo
www.editoraempireo.com.br
Contato: (11) 97687-9696
Texto: Sorella Conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *