Chuvas fortes, maré alta e muito lixo

A combinação fortes chuvas, maré alta, lixo e aterros irregulares provocou o transbordamento de canais nesta sexta-feira em Macapá. As ruas viraram rios e igarapés, as águas invadiram as casas. Teve gente que perdeu móveis e eletrodomésticos. Na zona norte uma casa desabou. Famílias estão abrigadas no prédio do projeto “Macapá Criança”. E há previsão de chuva e maré alta para esta madrugada. A tábua das marés mostra que a preamar será às 3h55 e a altura da maré chegará a 3,5m.
Mas o estrago deve ser bem menor que o provocado hoje, uma vez que a Prefeitura de Macapá passou o dia inteirinho retirando lixo dos canais e desobstruindo bueiros que estavam entupidos de lixo. Essa lixarada, mais aterros feitos de forma irregular são fatores que muito contribuem para o alagamento da cidade.

clecio2“É necessário um esforço conjunto para evitar novos alagamentos”, disse o senador Randolfe Rodrigues que acompanhou o prefeito Clécio Luís e o trabalho da Defesa Civil Municipal em vários pontos da cidade. É verdade. O esforço tem que ser conjunto. Governo e prefeitura tem que se unir em defesa do bem-estar do povo. E o povo tem que ter consciência e responsabilidade.
De pouco adianta o poder público limpar os canais se uma semana depois eles já estão entulhados de geladeiras,  fogões e colchões velhos, restos de móveis, pedaços de telha, sacos plásticos, garrafas pets e tudo o mais que se possa imaginar. Também de pouco adianta desobstruir os bueiros, se o povo continua jogando todo tipo de lixo na rua que vai parar no bueiro entupindo-o.

clecio7Prefeito Clécio conversa com moradores do bairro Pedrinhas e pede que  não joguem lixo nos canais

clecio5

  • Trabalho de concientização é oque falta.Fico impressionada como a população menos favorecida é a que mais contribue em jogar lixo onde não deve.Pobreza não é sinonimo de sujeira e muito menos de falta de esclarecimento.A PMM e o GEA deveria aplicar multa diária em quem jogar lixo onde não deve.Tal atitude infame contribue p/a proliferação de bichos peçonhentos e consequentemente doenças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *