Uma lembrança saborosa

Na minha ruazinha, de casas tão singelas, morava dona Lourdes. Quando seu marido Geraldo chegava do interior trazendo cachos de mucajá ela pulava na mesma hora pro quintal e com tanta agilidade tirava os frutos dos cachos.
Numa enorme bacia de alumínio em cima de um tronco, lavava tudo. Depois socava as frutas num pilão para retirar os caroços e socava de novo, agora com sarará (uns bichinhos que ela ia buscar no canal da Mendonça Junior). Dizia que  era para retirar a gosma.
Feito isso, misturava com outros ingredientes e botava pra cozinhar num panelão no fogão de lenha de sua cozinha.
Enquanto isso, a molecada de toda a vizinhança esperava brincando no quintal. Sim. Quando seu Geraldo chegava com os cachos era rápido que a notícia se espalhava e todos corriam – já com água na boca –  para o grande e arborizado quintal.
Dona Lourdes dava uma cuia de mingau pra cada um. E a gente  bebia lambendo os beiços.
Até hoje quando lembro  sinto o gosto desse mingau, sabor da minha infância, lembrança saborosa de meus tempos de criança na ruazinha de casas tão singelas.

  • Nunca tomei mingau de mucajá, mas adorava a fruta. Tinha muitas árvores perto de minha casa na área do São Camilo. Mucajá e tucumã. Para mim o mingau com sabor de mãe e infância é de banana. Meu predileto. Mingau de banana puro, sem tapioca. Delícia. Obrigada Néa por compartilhar suas memórias. Saudades de tu. Bjs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *