Estrelas – Oswaldo Montenegro

Pela marca que nos deixa a ausência de som
Que emana das estrelas
Pela falta que nos faz
A nossa própria luz a nos orientar
Doido corpo que se move
É a solidão nos bares que a gente frequenta
Pela mágica de um dia
Que independeria da gente pensar
Não me fale do seu medo
Eu conheço inteira a sua fantasia
E é como se fosse pouca
E a tua alegria não fosse bastar
Quando eu não estiver por perto
Canta aquela música que a gente ria
É tudo o que eu cantaria
Quando eu for embora, você cantará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.