Senado – “Independentes” deflagram ofensiva contra Renan

Da Folha de S.Paulo

“Agenda positiva” de Calheiros é uma “farsa”, afirmam senadores “independentes”

GABRIELA GUERREIRO
DE BRASÍLIA

O grupo de 13 senadores “independentes” deflagrou nesta terça-feira (13) uma ofensiva contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e contra práticas adotadas pela instituição nos últimos meses.

Os congressistas afirmam que a “agenda positiva” adotada por Renan em resposta a onda de protestos populares é uma “farsa” e acusam o peemedebista e seus aliados de adotarem condutas “não republicanas” no Senado.

Os “independentes” decidiram reagir depois que o plenário do Senado rejeitou, em duas votações secretas, indicações de procuradores para o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Conselho Nacional do Ministério Público. A rejeição foi orquestrada por senadores do PMDB, PT e PTB em retaliação ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que denunciou diversos membros da Casa.

“Essa rejeição é vingança, não representa o pensamento do Senado, são 13 senadores que acham isso indigno. O que podemos fazer é a advertência e a repulsa. Quem ia fazer a vendita abertamente? Quem faz secretamente é máfia”, atacou o senador Jarbas Vasconcellos (PMDB-PE).

O grupo também denuncia “ameaças” contra os senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e João Capiberibe (PSB-AP). Os dois dizem ter sido procurados por senadores aliados de Renan, nos últimos dias, que teriam ameaçado acelerar o processo a que respondem no Conselho de Ética da Casa em resposta à postura ofensiva que adotam no Senado.

“Estamos nos sentindo ameaçados. Chega de bastidor, de conchavo. Vamos falar as coisas abertamente aqui. O Conselho de Ética não arquivou procedimentos similares, que são sumariamente arquivados”, disse Randolfe.

Os dois respondem a processo no Conselho de Ética relacionado a acusações, arquivadas pela Procuradoria Geral da República, de que Capiberibe teria pago um “mensalão” de R$ 20 mil para deputados estaduais em troca de apoio político na época em que foi governador do Amapá, em 1999 e 2000. Randolfe seria um dos beneficiados com o “mensalão” do Amapá.

  • Esperei cinco anos pra fazer justiça e fiz com meu voto, agora outra armaçao contra o sen. CAPI nao dá! Mais todo cuidado com esta raça é pouco!

  • Os conchavos e as negociatas políticas devem ser denunciadas pelos senadores independentes, certamente o povo ira levar para os protestos nos movimentos de ruas. Esse senador Calheiros, se o Brasil fosse um país sério, já estaria banido da vida política, quem mão de suas lambanças com o dinheiro público em um passado recente, amplamente divulgado pela imprensa. Senador Randolfe, não cale a boca, mostre ao Brasil a força da juventude que você representa, pois é dessa força que esperamos mudar este Brasil, para que no futuro, Calheiros da vida sejam banidos do cenário politico.

  • Um pequeno grupo ligado ao PSB, que hoje comanda o IMAP, que na época do governo do PDT não foi perseguido por suas ideologia, pelo contrario, foi reconhecido e teve ate cargo e outras regalias naquela autarquia, hoje para agradar a suprema corte amarela resolveu perseguir ex-velhos aliados, a justificativa seria a defesa da ética, moral e dos bons costumes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *