Poesia na boca da noite

Poetas e amantes da poesia reuniram ontem na calçada da casa de César Bernardo, no bairro Jardim Marco Zero, e fizeram mais uma vez “Poesia na boca da noite”. O encontro previsto para acabar às 19h varou a noite e só terminou no começo da madrugada.
E as pessoas que passavam paravam para ouvir a poesia amapaense. Num certo momento até o trânsito engarrafou na rua Maria Marola Gato. Sim. Os poetas e declamadores, as performances poéticas, chamavam atenção de quem passava. A poesia atrai e encanta.

Neto Mont’Alverne chegou tímido, deixou suas poesias (que nunca havia mostrado pra ninguém) dentro do carro. A turma insistiu, pediu pra ver e ouvir e não demorou muito Neto perdeu a timidez e declamou suas poesias. Seus poemas foram elogiados por todos. “Está no sangue”, disse Bonfim Salgado, lembrando que Neto é neto da grande e saudosa poetisa Aracy Mont’Alverne.

Grande craque do passado, artilheiro na época de ouro do futebol amapaense, Bill Maravilha trocou ontem o bate-papo sobre futebol pelo bate-papo poético. Ao lado da esposa Dayse Pelaes, Bill acompanhou atentamente as performances poéticas

Na mesa, arrumada com tanto carinho por César Bernardo e esposa Consolação, tinha de tudo: petiscos, cervejinha, refrigerante, notebook e muitos livros de poesias. Professor Antônio Munhoz levou poemas manuscritos de vários autores amapaenses. Os manuscritos, em folhas de  papel almaço  amareladas pelo tempo, tem mais de 30 anos. Foi emocionante. Emoção também quando Munhoz declamou um soneto de José Araguarino Mont’Alverne e exibiu um livro autogrfado de Alcy Araújo, de 1965

A proprietária e o gerente da “Nossa Livraria” leram sobre “A poesia na Boca da Noite” aqui no blog e foram lá. Yolanda, a proprietária, falou de seu desejo de montar uma estante em sua livraria só com autores amapaenses e nos convidou para que façamos lá lançamentos de livros, tarde/noites de autógrafos, bate-papo com leitores etc.
Obrigada, Yolanda, pelo espaço que você está disponibilizando para a literatura amapaense. Acho que a partir da semana que vem os livros dos autores amapaenses já estarão à venda na “Nossa Livraria” (Av. Presidente Vargas, entre Eliezer Levy e Odilardo Silva)

Na próxima quinta-feira, 3, estaremos falando, declamando e fazendo “Poesia na Boca da Noite”, no Largo dos Inocentes, em homenagem aos 253 anos de fundação da cidade de Macapá. É ali, no centro histórico, que vamos homenagear Macapá. Nosso encontro começa às 17h. Qualquer poeta ou amante da poesia pode participar.
Vai lá, leva um banquinho ou uma cadeira, uma poesia sua ou do autor de sua preferência; se quiser pode levar tambéns uns biscoitinhos, e vamos demonstrar todo nosso amor à cidade de Macapá e à poesia amapaense.

Veja mais informação e mais fotos do encontro de ontem no blog do Rostan Martins, clicando aqui

  • Que bom ouvir o senado falando de arte e cultura, pena que são poucos os legisladores que os fazem. Parabens pelo blog. Sou educadora e com certeza irei repassá-lo…

  • Olá Alcinea, nossa fico triste em saber que perdi esse evento no meu bairro Jd, Marco Zero,gosto de poesia inclusive tenho algumas , +vive no caderno e anonimato, gostaria de repartir com vcs.Adorei em ver minha amiga Consola e meu primo Bonfim por ai…um abraço. Jane

  • Cara Alcinéa, só queria fazer uma correção com relação ao endereço da Nossa Livraria, a mesma fica na av Presidente Vargas entre as ruas General Rondon e São José. Grato Neto

  • (Nesta última foto)Bacana! Alcinéa, voce está regendo uma orquestra de poetas, onde os instrumentos são poesias. E a sua batuta na mão direita é um celular? Pouco importa.

  • Prezada Alcinéa (pemita-me chamá-la pelo primeiro nome), o contato diário com seu blog é um alimento para a alma, além de me manter informado “das coisas” do Amapá. Fico muito feliz com a iniciativa dessa trupe de amapaenses (por nascimento ou por adoção). Infelizmente não sei escrever uma linha, que seja, de poesia, mas admiro os que sabem expressar em versos os sentimentos do coração. Meus parabens a você, ao César Bernardo, que já tive a oportunidade de conhecer e com quem conversar, e parabéns aos demais.

    Carvalho, amapaense em Brasília-DF.

  • A poesia, além do papel, está no eencontro de pessoas, em todos os momentos de sua duração e prossegue através do desejo de chegue logo o novo reencontro. Foi isso que animou e colocou na calçada de casa mais de 25 pessoas se reencontrando poeticamente.
    De nossa parte, Consola e eu, só temos a agradecer a bela e honrosa presença de cada pessoas aqui trazidas pela poesia.
    Raras vezes nos alegramos tanto com pessoas perambulando em nossa casa. Valeu!

  • No próximo eu vou…fico só acompanhando pelo blog e a vontade de ir vai crescendo…
    não sou poeta, apenas amante da poesia…mas vou me “enxerir”…

  • Oi alcinéia! boa tarde quero aqui agradecer ao casal César Bernardo e Consolação, pela recpção que nos foi dada no encontro de poesias sexta-feira, foi excepcional dispensamos quelquer comentários. bjs. mil e bybyby.

  • BOA IDEIA!

    A iniciativa é excelente. A ideia tem que ganhar corpo em todos os birros de Macapá. Parabens para os participantes. “Uma nação se faz com homens e livros!” (Monteiro Lobato).

  • Parabéns, vcs são 1000, gostaria um dia de poder participar desses encontros maravilhosos, poesia é emociante, bjs

  • Néa,

    Adorei ter tido a oportunidade de estar ao lado de pessoas tão encantadoras. Espero poder participar de outros encontros como esse.
    Gostrai de fazer referência ao Cesar Bernardes e a Consolação que nos receberam de maneira muito especial e carinhosa. Em síntese: – Engarrafamos a Marola Gato!

    Beijos.

  • Muito agraciado. Este blog me surpreende…
    Em meio de tantos escândalos, notícias frustrantes, tristes, regadas a revolta. Cidade em meio de conflitos, desavenças e disputas. Me deparo com essa declaração de amor à Poesia. Poesia sim, que fala das rosas, do por do sol, do Rio Majestoso… As coisas vistas de outro plano…
    Parabens a todos que declaram amor à Poesia, e que nela possam compartilhar tudo a todos. Viva a vida!

  • Oi, Néa. Desculpe\ por não poder ir ontem. Tive que dar uma força de última hora a alguém. No próximo, certamente, estaremos juntos. Bjos.

  • Muito lindo!!!! poesia é a forma de liberdade plena é a forma de despertar nossa visão além do aparente!!!!
    Gostaria de fazer um convite aos senhores para participar de um saral futuramente no CAMPUS II da UEAP sera uma honra para nós de Fiolosofia receber os senhores.
    Um grande abraço!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *