De Élson Martins sobre Álvaro da Cunha

De um   artigo   do jornalista Élson Martins publicado em março de 2005 na Folha do Amapá, pincei este trecho:

“O único camarada que teve coragem de peitar a Icomi foi o poeta Álvaro da Cunha, que escreveu o livro Quem explorou quem no contrato de manganês do Amapá, em 1962.  Mas ele sofreu ameaças de toda ordem!  O livro lançado pela Editora Rumo (que tinha endereço à Avenida Mendonça Furtado, 8, em Macapá) permanece proibido até os dias de hoje.  Naquele ano, Álvaro da Cunha, que era também técnico em Administração e respondia pela direção da Companhia de Eletricidade do Amapá, viajou do Rio de Janeiro até Macapá com um energúmeno da Icomi que lhe fez todo tipo de proposta para segurar o livro-denúncia.  Terminou por ameaçar (veladamente) o autor de morte.”

 

  • O Élson Martins é um jornalista íntegro e competente.
    Além do mais, apaixonadamente amapaense.
    Podem acreditar no que ele escreve.
    José Maria

  • E o pior é que a ICOMI já está aí prontinha pra levar o resto do que deixaram pra trás, como se nada tivesse acontecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *