Um poema de Neth Brazão

Sol de inverno
Neth Brazão

Reclamo-te nas frias tardes de sol
Tão frias na alma
Penetrável de esperança,
Tão cheias de ausência do teu calor,
No escuro mundo de saudades,
Fundido no silêncio que quebra o pôr do sol.
Como te prender?
Como te ter?
Já não sei mais ser.
O momento me convida a caminhar
Entre a purpura lembrança de outrora
De quando sorrisos se espalhavam
Em todo lugar.
Tremula ensaio refazer
O percurso de um toque no ar
Na ilusão de estar tocando em você.
Recuo das entrelinhas na paisagem
Da febre doce no preludio
Raio que ficou no horizonte
Dando forma ao pensado ser.

(Da coletânea “Poemas, poesias e outras rimas”)

  • Inicialmente, sente um sujeito lírico feminino…
    Perante a situações relacionados a estação…ao ler, aos poucos, mostra todo o sentimento com relação as virtudes…tais como: Esperança…
    O evidenciar do silêncio como algo
    E das saudade…tem as questões do espírito, que aos poucos, vai o descrever as impressões da situação na relação com o afeto das emoções vividas.
    Bom…reconhecimento da saudade e

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *