Fica aí, Dadá

Dadá:

Nunca te vi pessoalmente, nunca troquei um dedo de prosa contigo, não conheço teu caráter nem sei se o teu lado bom é maior que teu lado ruim ou vice-versa.
Apenas sei do importante cargo que exerces e te vi uma ou duas vezes na televisão.
Nunca acessei tuas redes sociais.
Nos últimos dias  ouvi falar e li na imprensa que pretendes aportar em terras tucuju. Achei que era mais uma fake news ou zoação. Por que virias para cá? Aqui a terra nem é plana e a gente percebe isso claramente olhando os grandes navios fundeados no nosso majestoso rio Amazonas.
Mas de tanto o pessoal falar que vens, que já estás até pesquisando os sites de imobiliárias atrás de casa pra alugar resolvi acessar tuas redes sociais. E para espanto meu não era fake news.
Se vens não é por amor a essa terra (que nem sei se conheces). Quando a gente se muda por amor para outra paragem, a gente não aluga casa. A gente trata logo de comprar (porque pensa em ficar o resto da vida – os amores são assim) e aí se muda levando mala, cuia, rede e uma poqueca de farinha baguda.
Se vens para disputar um cargo eletivo, te digo que é melhor tentares na tua terra, pois aqui nós temos uma ruma de amapaenses para se candidatar, portanto não estamos precisando importar candidatos.
Temos bons políticos. E maus também (como em todo lugar). Às vezes acontece de elegermos um mau político, mas temos a vantagem de encontrá-lo numa roda de marabaixo ou na Fazendinha comendo camarão no bafo ou pegando uma frescura na orla e também nas feiras, supermercados, bares e escolas de samba. Aí ficamos com eles cara a cara. E olho no olho falamos da nossa decepção com eles e descascamos o abacaxi pra cima deles.
Dadá, é melhor ficares por aí.
Deixa eu te contar uma coisa. Certa vez chegou por aqui um cara que queria ser senador e fez sua campanha com um espanador. Sabe o que aconteceu? Foi espanado daqui. Veio outro que se dizia uma Pedreira, saiu daqui sabendo com quantas pedras se faz a Fortaleza de Macapá. Não queres isso pra ti, né?
Sabes dançar marabaixo? Bebes gengibirra? Comes camarão no bafo? Tomas açaí com peixe assado? Te pergunto isso porque já apareceu gente por aqui querendo voto que passou vergonha e virou piada. Um bebeu um tantinho de gengibirra, ficou porre e deu o maior vexame, caindo no salão, se vomitando todo… argh! Nem queiras saber.
Um outro, num restaurante lotado, pediu camarão no bafo. Quando o garçom serviu, ele ficou olhando pro prato sem saber o que fazer. Depois de alguns minutos chamou o garçom e:
– Esse camarão é assim mesmo? Com casca?
– Não, é pão.
– Pão???
– Desculpe, senhor, usei uma gíria daqui. O camarão é assim mesmo. Com casca.
– E como eu vou comer?
– Basta tirar a casca, senhor.
– E como tira?
– Dá licença, senhor, tenho que atender outras mesas.

E as pessoas que estavam por perto (lembras que eu disse que o restaurante estava lotado) caíram na gargalhada e no outro dia a cidade inteira já sabia disso.

Então, Dadá, fica por aí mesmo. Assim não corres o risco de pagar king-kong por aqui.
Como dizia minha vó, boa romaria faz quem fica na sua casa em paz.

Abraços

P.S. – Desde hoje estou te seguindo nas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.