Ações de deputados contra promotor estão na pauta de hoje do Tribunal de Justiça

Entra em pauta nesta quarta-feira, 9,  o julgamento da admissibilidade das queixas crimes contra o promotor Adauto Barbosa,  ajuizadas no Tribunal de Justiça do Amapá pelos deputados estaduais. Dos 24 deputados estaduais apenas Cristina Almeida, Aguinaldo Balieiro e Isaac Alcolumbre não ofertaram queixa crime contra o promotor.
Adauto Barbosa é bastante conhecido por sua integridade, seriedade e defesa da coisa pública, mas ganhou a ira dos parlamentares quando em recente entrevista  disse que a verba indenizatória de R$ 100 mil  era “um escárnio” e que o objetivo não era outro “senão àquele de atender aos interesses eleitoreiros e pessoais dos parlamentares”.
Os deputados entenderam as declarações do promotor Adauto Barbosa  como calúnia, injúria e difamação. e  cada parlamentar ofertou uma queixa crime no TJAP, com exceção de Cristina Almeida, Aguinaldo Balieiro e Isaac Alcolumbre.
A verba indenizatória já foi reduzida de R$ 100 mil para R$ 50 mil. O próprio presidente da Assembléia Legislativa, Moisés Souza, decidiu pela redução depois que a sociedade se manifestou contra e fez um ato na frente da sede do poder legislativo.

  • José Carlos: voce se importa com o que foi dito e fica em silêncio com o que está sendo “levado” nas “cuecas” ou nos “aviões”…
    Até parece que você é um dos que também está enconstado na Assembléia…?

  • Se ele é ou não íntegro, não importa. O que importa é o que foi dito e, se ele, na sua condição de agente público, não mede as palavras e não possui imunidade para isso, precisa responder pelos seus atos.

    • E o que tem de mais nas palavras dele?! Chamou a verba de 100 mil/mês de “escárnio” (zombaria) e… bem… ele tem direito de achar isso, ora! A condição de agente público não retira o direito que o cidadão tem de expressar livremente suas opiniões. Se ele estava errado (e a verba era correta naquele valor), por que os valorosos deputados a REDUZIRAM?!

      • Quanto ganha por mês um Promotor para ficar falando em vez de agindo??? Você está certa e também acho que ele tem o direito de falar, mas também era ele quem mais tinha o dever de agir no Parquet.

  • O que o Promotor falou é a mais pura verdade. Todo mundo sabe disso. Tá mais do que claro que esses “nobres” deputados, os “representantes do povo” só estão mesmo preocupados em encher cada vez mais seus bolsos e satisfazerem seus interesses pessoais!
    Apesar de ser meio utópico, torço para que o povo do Amapá não venda seu voto ou troque por “favores”, e assim dê a resposta a todos esses escândalos nas próximas eleições. Tirando essas “figurinhas repetidas” de cena, que enriqueceram e estão enriquecendo ainda mais às custas da malversação de verbas públicas! Em detrimento do nosso povo, principalmente das classes menos favorecidas, que sofrem diariamente com a falta de verbas/investimentos nas áreas da saúde, educação, segurança, etc.

  • Dr. Adauto, ainda que sejas apenas “uma voz no deserto”, continue firme, atuando em defesa do patrimônio público, lutando contra a falta de vergonha na cara desses politiqueiros! Siga em frente. Deus está contigo. Enquantos esses politiqueiro se esbaldam com a VERBA EMBOLSATÓRIA crianças não tem oportunidade de educação de qualidade e assistência médica…

  • O Grupo de Gestão e Administrativo, protocolou domcumento informando que irão fazer paralização.
    A paralização é uma resposta aos chas de bancos que os representantes do grupo tem levado na SEPLAN, nas muitas tentativas de reunir com o Secretário e não são recebidos, até mesmo quando a reunião é marcada pela própria SEPLAN.

  • O voto do relator, juiz (convocado) Eduardo Contreras foi contra a admissibilidade das ações contra o promotor, e foi acompanhado pelo desembargador Dôglas Ramos. O desembargador Gilberto Pinheiro foi a favor do recebimento da denúncia com relação a difamação. O desembargador Carmo Antonio pediu vista e o julgamento foi suspenso. A tendencia, pelo que pude apurar, e pena não admissibilidade das ações contra Adauto Barbosa.

    • Grande Paulão! me ajude, promotor é para ficar falando(e só depois da M. no ventilador) ou para agir em favor da lei, da moral, da ética…diga ai.

  • Nãp podemos esperar muita coisa! como diz o poeta:
    “justamente o único meio de se criar homens livres é educá-los: ainda não se inventou, e com certeza nunca se inventará outro…”.

  • O problema é a prestação de conta. a verba pode ser de até mil reais. mais as notas fiscais dos serviços e materiais não pode ser frias. Só porque baixo para 50 mil, ninguem está ligando para as prestações de conta

  • Mas se não é “um escárnio” e se o objetivo não é outro “senão àquele de atender aos interesses eleitoreiros e pessoais dos parlamentares” é o que, então???????
    Os deputados fazem o que fazem e nenhum cidadão tem sequer o direito de exteriorizar sua indignação.

  • Grifo “sociedade se manifestou” e colocaria os estudantes. Todavia, o avanço foi conquistado, menor do que queríamos, mas a sinalização e reconhecimento de que estava errado já foi uma grande vitória.

  • É o fim do mundo mesmo. Alguns deputados, que não possuem o minimo de respeito pela população, impetrando ação contra uma pessoa integra como o Promotor Adauto Barbosa. Vamos chegar ao fundo do poço se esses “nobres” deputados conseguirem calar o MP.

  • É a Assembléia como nós conhecemos trabalhando em em prol de seus interesses pessoais. Não me representa em nada!

  • Nossa justiça e mesmo rápida.Vamos ver pra que lado pende essa balança. Se para o do Promotor Adauto e do interesse da sociedadae e da propria assembléia que reconheceu seus excesso ou se para o lado retalização pura e simples contra quem apenas cumpriu seu dever funcional.
    Muleke, que tá assim, assim com essa parada.

  • A meu ver, o que se vai julgar hoje é se um membro do MP tem o direito de FAZER SEU TRABALHO e EXPRESSAR LIVREMENTE SUAS OPINIÕES. Qualquer decisão favorável às ações contra o promotor seriam um duro golpe no sistema de liberdades individuais democráticas, creio.

  • Quanta vergonha! ou seja, os “valorosos” deputados aumentam, indecentemente, os valores das verbas de gabinete e das diárias para R$-100.000,00 e R$-2.600,00, respectivamente, e rebelam-se contra membros do Ministério Público que posicionaram-se contráriamente a essa dessensatez. É um absurdo!!!!!! É a prova de que eles, os “nobres” deputados legislam em causa própria. Está explicado porque gastam milhões nas campanhas eleitorais (muito mais do que ganhariam nos quatro anos de legislatura caso percebessem apenas seus “minguados salários” de mais de R$-20.000,00). Está explicado também porque um deputado em pouco tempo adquire patrimônio gigantesco, INCOMPATÍVEL com os seus “salários de fome”. Enquanto não aprendermos a votar e a distinguir bons dos maus políticos teremos essas espécies como nossos representantes. VAMOS GUARDAR NA MEMÓRIA O NOME DE CADA UM DELES PRA REJEITÁ-LOS NOS PRÓXIMAS ELEIÇÕES. VAMOS ACABAR COM O JARGÃO DE QUE O POVO BRASILEIRO NÃO SABE VOTAR. CADA POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE!!!!!!

  • ESSES DEPUTADOS NÃ TEM JEITO MESMO. A SOCIEDADE AMAPAENSE TEM QUE DAR UMA RESPOSTA NA URNA NÃO ELEGENDO NENHUM DELES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *