Gitas e gitinhas

Clécio ainda em Santana
Sabendo que cuia emborcada não junta água, ex-prefeito Clécio Luís (sem partido) corre livre, leve e solto em Santana (segundo maior colégio eleitoral do Amapá) em busca de apoio a sua candidatura governador. E tem conseguido.
Clécio mudou-se para Santana mês passado para fazer o que ele chama de “imersão” a fim de conhecer mais profundamente as questões daquele município. Gostou tanto de lá e do acolhimento que resolveu ficar mais um mês.  Em agosto ele se muda de mala, cuia e violão para Laranjal do Jari e depois para Oiapoque.

Telinho
De tanto se falar em juventude e renovação, ganha peso o nome do economista Teles Junior, o Telinho, para disputar o governo do Amapá. Telinho é atualmente secretário de estado das Cidades. Tido como um dos melhores quadros do PDT e também da equipe de governo, ele diz que está à disposição do partido para encarar a disputa  e  que pode contribuir bastante com o debate, estabelecer novas diretrizes ao Estado e liderar um processo de renovação política.

Que será?
Não está nos planos do governador Waldez Góes candidatar-se ao Senado ano que vem, tanto que ele já prometeu apoio a Davi Alcolumbre (DEM) que vai tentar reeleição. Mas político não é como escoteiro que “tem uma só palavra e sua honra vale mais que a própria vida”.
Mas, caso WG mantenha a palavra, o que será que ele vai fazer quando terminar seu mandato? Tocar violão? Pescar? Ensinar a tratar e comer acari?
Façam suas apostas.

De mal
Já há algum tempo o governador Waldez Góes (PDT) e o vice Jaime Nunes (PROS) não dividem o camarão no bafo. Mas o molho de tucupi entornou mesmo semana passada quando WG exonerou os presidentes da Adap e Fcria, indicados por Jaime e nomeou para esses cargos o deputado federal Luiz Carlos e o vereador Odilson Nunes, ambos indicados pelo senador Davi Alcolumbre (DEM).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.