Mãos Limpas: TJAP rejeita denúncia contra Marilia Góes

Por unanimidade, o Pleno do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), rejeitou mais uma denúncia do Ministério Público do Amapá contra a deputada estadual Marilia Góes (PDT), relacionada a operação ‘Mãos Limpas’. Desta vez, a ação julgada está relacionada a acusações de fraude na contratação do Instituto Vidas Parceiras, quando exercia o cargo de secretária de Inclusão e Mobilização Social, em 2009. A decisão foi tomada nesta quarta-feira, 24.

O instituto Vidas Parceiras foi contratado para a realização de capacitações de conselheiros estaduais e municipais. O serviço foi prestado e comprovado conforme relatórios da Sims. O pleno composto pelos desembargadores João Lages (relator), Rommel Araújo, Gilberto Pinheiro, Sueli Pini e Manoel Brito, considerou a denúncia inepta por não satisfazer os requisitos do art. 41 do Código de Processo Penal, ou seja, a acusação não tinha provas de que a parlamentar tenha praticado algum crime ou participação em ato ilícito.

“É mais uma decisão que comprova a verdade. Reafirma a consciência tranquila e a convicção na condução da coisa pública. É o tempo da Justiça, na qual sempre acreditei, mas que confirma e dá alento aos que sempre acreditaram na nossa inocência. Sou grata a Deus por isso“, afirmou Marilia Góes.

(Texto: Assessoria da deputada Marília Góes)

  • Eu sempre acreditava a parlamentar era inocente. E não tinha nada à temer. Por que teve uma criação com dignidade. É meu ponto de vista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *