MP x AL – Pleno do Tribunal de Justiça mantem afastamento de Moisés Souza e Edinho Duarte da mesa diretora da AL

Na manhã desta quarta-feira, 18, o Pleno do Tribunal de Justiça do Estado do Amapá, julgou improcedente o Agravo Regimental ajuizado pelos deputados estaduais Moisés Souza e Edinho Duarte, mantendo a decisão proferida nos autos do processo nº 0000933-95.2012.8.03.0000, que determinou o afastamento de suas funções junto a Assembleia Legislativa do Estado do Amapá.

Em junho deste ano, a pedido do Ministério Público do Amapá, o Tribunal de Justiça do Estado determinou o afastamento dos deputados estaduais Moisés Souza e Edinho Duarte, do cargo de presidente da Assembleia Legislativa do Amapá e do cargo de 1º secretário da Mesa Diretora da AL, respectivamente. O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Moisés Souza, recorreu, ainda, ao Superior Tribunal de Justiça, que manteve a decisão da justiça local em afastá-lo.

Moisés Souza e Edinho Duarte foram denunciados por formação de quadrilha, fraude em licitação, peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Além dos deputados, mais 15 pessoas foram denunciadas. Os servidores da Assembleia que foram denunciados, também foram afastados de suas atividades.

(Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá)

  • dra. Ivana Cei e Sueli Pini olhe as secretarias e autarquias que Camilo passou aos deputados. O mesmo processo de licitação que faziam na AL se estenderam nas instituições governadas pelos deputados.

  • VER AS SECRETARIAS QUE CAMILO PASSOU AOS DEPUTADOS. A PRATICA É REITERADA POR CONEXÃO. EXEMPLO: HEMOAP, PESCAP, IMAP, SEMA, ETC…..

  • na verdade ”são farinha do mesmo saco”, e o tal promotor ameaçador,foi punido?e o banap? e o pp? e todos os outros? e quem apurará a denuncia de enrequecimento ilicito de um esposo?ou tira todos ou deixa como está, são farinha do mesmo saco

  • PARA QUEM SE ACHA ACIMA DE TUDO E DE TODOS, VAI COMENDO MAIS ESTA. E SE A ASSEMBLEIA QUIZESSE MELHORAR SUA IMAGEM PERANTE A SOCIEDADE LHES TIRARÍA O MANDADTO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *