MPE pede condenação dos ex-governadores Waldez Góes e Pedro Paulo

Do Portal do MPE-AP

O juiz da 6ª Vara Cível da Comarca de Macapá, Paulo César do Vale Madeira, recebeu a ação de improbidade administrativa contra os ex-governadores Waldez Góes e Pedro Paulo Dias, acusados de terem retido indevidamente valores de empréstimos consignados de servidores públicos durante o período em que estiveram à frente do Poder Executivo Estadual.

Na ação, o Ministério Público pede a condenação dos ex-gestores por improbidade administrativa e o ressarcimento do prejuízo causado aos cofres públicos.

A justiça já havia concedido liminar bloqueando os bens dos acusados até a decisão final do processo.

Na decisão, o Juiz Paulo Madeira argumenta que “é fora de dúvida que, durante um determinado período, o Estado do Amapá não repassou para os Bancos credores os valores que descontava dos contracheques dos servidores em razão de tais contratos, o que acarretou ações movidas pelos Bancos e, em alguns casos, ações individuais dos servidores que se sentiram prejudicados”.

Os ex-governadores também respondem a uma ação penal em razão dos mesmos fatos, em trâmite na 4ª Vara Criminal da Comarca de Macapá.

  • Daqui a algum tempo vamos ver a mesma coisa com relação a PMM. A prática parece que é marca registrada dos eleitos a cargo executivo ultimamente. Falta ainda o MPF e o MPE apurarem a aproprição do dinheiro pago pelos servidores e não repassados aos PLanos de Saúde, ao INSS, a AMPREV ao Imposto de Renda e a UNIODONTO. Isso tem nome e endereço no Código Penal é APROPRIAÇÃO INDÉBITA, similar ao 171 do dia a dia.
    Muleke, por dentro do Direito e aprendendo com o JOaquinzaão Barbosa.

  • Nossa Deus ilumina a tdos a justiça esta sendo feita, e tdo q levaram o nome do Amapa a lama sejam punidos sem excessão, ainda falta e que o nosso povo nao caia de novo em eleger pessoas q ainda teimam em voltar.

  • Espero que se faça justiça em relação a esses senhores que comandaram a pior rede de corrupção que o Amapá já viu em toda a sua história.

  • Em Macapá existem homens e mulheres de bem e a Justiça divina é absoluta.

    Deus é o general que dará aos justos o que é de direito e aos injustos o que é merecido.

  • Fora da vida pública os corruptos. Não há como conviver com eles em um espaço tão importante para as nossas vidas.
    Maravilhosa sua participação em defesa da Literatura na PLENÁRIA DA CULTURA ontem à noite.

  • Fico feliz com a noticia. O que fizeram não pode ficar impune. Minha vida financeira foi extramente afetada por essa farra sem precedentes na história da corrupção no Amapá.

  • Mr. sobrinho
    Tio Waldeeeeezzzz!!!!!!!!!!o Sr por aqui novamente!!!!!!??????
    É verdade que o sr ta se preparando pra voltar??????!!!!!!!Ebaaaaa!!!!! Vamos terminar de vender o Amapá!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *