“Operação Acrópoles” leva 7 para a cadeia

Sete pessoas foram presas e três conduzidas coercitivamente para prestar depoimento nesta terça-feira durante a “Operação Acrópoles”, do Ministério Público Estadual – que investiga desvio de mais de R$ 12 milhões (valor atualizado) da Assembleia Legislativa do Amapá.
Com o apoio das polícias civil e federal e do Ministério Público do Pará, a  Operação foi deflagrada em Macapá (AP), Santana (AP), Belém (PA) e Ananindeua (PA). Foram cumpridos 15 mandados de brusca e apreensão – inclusive nas casas de apartamentos dos deputados Junior Favacho (Macapá, Belém e Ananindeua) e Charles Marques (Santana) -, sete de prisão de servidores da Alap e empresários e três de condução coercitiva.

De acordo com o MPE as diligências fazem parte das investigações de Medida Cautelar Penal sob segredo de Justiça, que apura práticas de crimes por agentes públicos e particulares, que, em conjunto, promoveram desvio e lavagem de elevada quantia dos cofres da Assembleia Legislativa do Estado do Amapá (ALEAP). O MPE apurou que, no período de 25/01/2013 a 20/08/2014, a Assembleia  pagou R$ 12.073.647,22 (valor atualizado) a uma empresa de construção civil, através de 104 cheques nominais, sem qualquer processo licitatório e especificação dos serviços.

O presidente na época era o deputado Junior Favacho (PMDB). Na residência dele em Macapá e apartamentos no Pará  foram cumpridos mandados de busca e apreensão como também na casa do deputado Charles Marques (PSDC) que à época era 1º secretário da Alap e assinava os cheques. Ao G1, o deputado Marques  disse que assinava os cheques “na boa fé” e que não tinha o papel de fiscalizar se as empresas contratadas pela Assembleia prestavam os serviços.

As investigações do MPE apontam que a construtora contrada, a J.J. Monteiro Machado Construções Ltda, foi usada para desviar os recursos. A empresa sacava a grana na boca do caixa e depois depositava em contas de laranjas. O MPE suspeita que parte desse dinheiro foi aplicado em empreendimentos da família do deputado Junior Favacho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *