PT deixa o “grupo da harmonia”

Em reunião ontem à noite, o diretório  estadual do PT decidiu que vai iniciar oficialmente conversas com o PSB visando as eleições deste ano e que se empenhará para recompor a frente de esquerda no Amapá, que foi desfeita em 2002 quando cada um lançou candidato ao governo –  Cláudio Pinho (PSB) e Dalva Figueiredo (PT). Os dois perderam. O PT ainda passou para o segundo turno e o PSB decidiu apoiar Waldez Góes, do PDT. Os caciques do PSB participaram do horário eleitoral,  enquanto a militância – de camisa amarela com a frase “Agora é 12” – foi às ruas combater a petista Dalva e pedir votos para Waldez Góes.

Waldez ganhou. Articulado, o PT não demorou muito para varar no governo pedetista e assumir vários cargos de relevância.

Em 2006 para não coligar com o PSB, o PT lançou um candidato laranja e trabalhou pela reeleição de Waldez Góes. O PSB teve como candidato o ex-senador João Alberto Capiberibe.  Waldez foi reeleito no primeiro turno e o PT continuou fazendo parte de seu governo.

Em 2008, PT e PSB lançaram candidatos a prefeito de Macapá. O PSB foi para o segundo turno com Camilo Capiberibe, mas o PT apoiou o PDT e Roberto Góes foi eleito.

O PT no governo – Há sete anos e cinco meses fazendo parte da administração estadual, o PT inicialmente pretendia continuar no chamado grupo da harmonia – que governa o estado desde 2003.

Quando Waldez Góes renunciou ao mandato de governador em abril para disputar o Senado e o vice Pedro Paulo Dias, do PP, assumiu o governo, o PT manteve seu espaço. Mas resolveu dar uma pressão no novo governador. No dia 6 de maio, a executiva estadual reuniu e publicou uma resolução exigindo, entre outras coisas, o repasse dos recursos de todos os convênios pendentes, assinados pelo GEA com as prefeituras do Partido dos Trabalhadores e   uma recomposição dos espaços que o partido ocupa no governo, com a substituição de alguns nomes. Para isto o PT deu um prazo ao governador Pedro Paulo Dias até 14 de maio, deixando claro que o silêncio de Dias seria entendido como uma recusa. Dias silenciou, ou seja, recusou. No dia 17 de maio, o PT reúne mais uma vez e publica uma resolução onde diz que  “tendo em vista o silêncio do Partido Progressista-PP, até a presente data, em relação aos pleitos já apresentados, o Partido dos Trabalhadores do Estado do Amapá, a partir desta data, deixa de fazer parte do Governo Estadual” e fixa em 31 de maio o prazo para entregar os cargos que ocupa no governo. O governador Pedro Paulo Dias continuou em silêncio.

Ontem à noite, o PT chutou o balde e decidiu se empenhar para reconstruir a frente de esquerda tendo como principal parceiro o ex-aliado PSB. (PT e PSB estiveram juntos em 1990, 1994 e 1998)
Se a idéia vingar, Camilo Capiberibe será o candidato ao governo, tendo na vice um petista que será escolhido entre Luizinho, Ivanci, Dora, Zé Luís e Wagner Gomes. Os candidatos ao Senado serão João Alberto Capiberibe (PSB) e professor Marcos (PT).

A coligação PT/PSB não tem a simpatia da deputada federal Dalva Figueiredo.  Embora  seja a estrela de maior expressão dos petistas tucujus, Dalva perdeu espaço dentro do partido a nível local. A nível nacional continua sendo a “queridinha” de Lula por quem é chamada de Dalvinha e faz parte do diretório nacional. Por isso não é bom descartar a possibilidade de uma intervenção do nacional no PT daqui. Melhor ficar com um olho na frigideira e o outro no gato.

  • Frente de esquerda, dá um tempo. Joel Banha é direitona, basta verificar a negociação que ele fez com o Waldez pra nomear na CEA, Josimar Peixoto – Presidente e Aurea Diretora Administrativa e Financeira e centenas de nomeações no segundo, terceiro quarto escalão da Cia. Ah! fora os contratos de aluguel de carro e outras cositas mais. Nogueira nem se fala, basta ver o socialismo de miséria que o povo de santana vive. Mas, juntá-los faz sentido. Capi cassado por compra de votos, Nogueira cassado pelo mesmo motivo e condenado a 8 anos de prisão pelo TJAP. Basta uma auditoria na CEA que o Joel entra no rol. Pronto falei.

  • Os aliados da HARMONIA estão nos meios de comunicação dizendo boca a fora,QUE DEP Dalva vai articular uma intervenção nacional, hora esses nem sabem o que estar acontecendo nos basdidores do PT e falam apenas para trasparecer paraa sociedade que Dalva tem poder!!! o que ela tem é um belo de um acordo com eles… EU QUE SOU DE UMA CORENTE NACIONAL DO PT, JÁ ME INFORMEI SOBRE O CASO DO AP, NÃO EXISTE INTERVENÇÃO NO AMAPÁ!!! QUE FIQUE BEM CLARO QUE DALVA NÃO TEM NADA DE PESTISTA!!! A HISTORIA DELA MOSTRA ISSO.

  • SEM EXPRESSÃO: erro de ambos os lados!

    Penso que a deputada Dalva Fugueiredo (PT-AP) não tem expressão política e só ganhou alguma notoriedade por conta da eleição de Lula, em 2002. Lula desaparecendo, ela, desaparece tambem.

    E, diga-se, é uma péssima administradora. Isso ficou provado nos sete meses que ficou como governadora do Amapá, substituíndo João Capiberibe (PSB-AP). Deu um tiro a queima roupa no PDSA e ajudou o WG (PDT-AP) a enterrá-lo. Hoje o mundo fala URGENTEMENTE em DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL para o planeta Terra. E agora? Tanto DALVA (PT-AP) como WG (PDT-AP) são políticos com cérebro de titica de galinha. Não fedem e nem cheiram.

    Portanto, esse papo de intervenção nacional no Amapá não cola.

    Claro, comentei nesse BLOG que é preciso afastar a vaidade de cada lado. Todos tem direito de administrar o bem público, sem egoísmo.

    O erro do PSB-AP, em 2002, foi lançar Cláudio Pinho (PSB-AP). O PT do Amapá tinha que ser apoiado pelo PSB, mas o candidato (a) não era Dalva Figueiredo. A sra. DALVA é muito fraca e não tem tino (ideia) para administrar o bem do povo.

    Se a esquerda política quiser voltar a governar o Amapá com COERÊNCIA, todos tem que enterra o passado e começar uma nova história.

    Caso contrário, esses hipócritas harmônicos, que estão aí há 7 anos e 5 meses vão fazer de tudo pra não largar o osso (o dinheiro público).

    E o povo ficará ferrado novamente.

    Pensem nisso!!!

  • Já ouvi muito essa conversa de que EO FIM DO PT! e só vejo o PT crescer. Os 2 Partidos tema maior militancia de base do Estado, tem um bom tempo de tv,24 Vereadores, 3 Prefeituras incluindo a 2ª maior. Acredito eu que sou filiado ao PSDB, QUE PAULO DIAS JÁ ERA! RESTA LUCAS E JORGE. JORGE TEM MAIS CONDIÇÃO PQ NÃO TEM ESCANDALOS E SEMPRE CUMPRIU ACORDOS.JÁ TUDO!!! CAMILO E JORGE NO 2ª TURNO.

  • Felizmante é impossivel uma intervenção naconal do PT aqui no Amapá, primeiro porque o PSB nacional é o unico partido coligado oficialmente com o PT nacional, o PTB ta apoiando o $ERRA, o PP ta cozinhando o galo mais tá mais para coligar também com o PSDB, então será mesmo o inicio de uma nova era da oposição aqui no Amapá e o fim da Dalvinha!

    • A participação histórica na construção e militância a um partido não acaba assim tão rápido e facilmente. E além do mais, enquanto nós nos degladiamos a respeito dos caminhos políticos, quem tem e quem não tem mandato toma cafezinho “lá fora”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *