Raquel Capiberibe rompe com o PSB

Da coluna Café com Notícia no blog Repiquete

Rompimento
Raquel Capiberibe, agora no Partido da Mobilização Nacional (PMN), disse em entrevista ao Café com Notícia, que o rompimento com Partido Socialista Brasileiro (PSB), onde militou por 24 anos, é pra valer. Mesmo afirmando que pretende preservar os laços de família, disparou: “Acho que havia um congestionamento de Capiberibes no PSB, e alguém teria que ser execrado. Fui eu!”. Sobre os novos rumos na política, disse que a mudança partidária não faz parte de qualquer estratégia para ajudar na reeleição do atual governador. “Estou decepcionada com o PSB, acho que se descaracterizou. Você não pode misturar todos os gatos no mesmo balaio”, alfinetou.

Mudança – Raquel não poupou o sobrinho, governador Camilo Capiberibe, de duras críticas. “Achei que os novos fariam a mudança, mas não aconteceu. O povo precisa de saúde e educação. Tem dinheiro e o que falta é a correta aplicação do recurso público”, disparou. Aos 74 anos, Raquel disse que está com todo gás para ajudar a fortalecer seu novo partido, e ciente da sua polêmica decisão, finalizou. “Têm pessoas que discordam. Isso é normal. Falem mal ou bem, mas falem de mim. Só não falem o que não sou capaz de fazer”.

  • Concordo com a professora Raquel, acho que o partido socialista brasileiro, perdeu sua característica principal, ou seja, o social. Conforme foi dito, sabemos que o dinheiro tem, só não está sendo usado onde é para ser. E devido a isso, os três pilares de sustentação da qualidade de vida dos cidadãos, ruíram de vez, que são eles: Saúde, Educação e Segurança. A saúde não tem mais jeito, porque o governo “não tem mais remédio”; este mesmo governo, não é nem um pouco “educado com a educação”, o desrespeito tem sido constante e com a segurança pública, deveriam espalhar por todo o Amapá, principalmente na capital, Macapá, placas indicativas de: “Cuidado! Zonas de Assalto”. E olha que seriam muitas placas.

  • Infelizmente é a prática de todos os governantes usar a posição para favorecer os apadrinhados inventando cargos que servem de cabide quando na verdade há em jogo todo um interesse político.No caso, o PDT inseriu muitas família no RENDA PRA VIVER MELHOR as vésperas de uma eleição para colher benefícios e deu no que deu.

  • Se é real ou não a mudança de partido,o certo é que deu um belo puxão de orelha no sobrinho.A tal “mudança” tão esperada, não aconteceu de verdade.Creio que a falta de uma fiscalização mais rigorosa na destinação dos recursos públicos,se faz urgente e senão,o governo Camilo não emplaca na reeleição.Muitos cargos para serviços infrutiferos.O GEA e a PMM,são excelência em cabide de emprego.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *