Roberto e Marília Góes estão inelegíveis, sentencia juiz eleitoral

Dois campeões de voto nas eleições deste ano estão inelegíveis. São eles, o ex-prefeito de Macapá Roberto Góes – que foi o deputado federal mais votado – e deputada estadual reeleita com o maior número de votos Marília Góes, ambos do PDT.
A decisão é do juiz eleitoral Reginaldo Andrade e foi publicada hoje.
Marília Góes é acusada de comprar votos para Roberto Góes em 2008, quando ela era secretária de Estado de Inclusão e Mobilização Social e ele candidato a prefeito. De acordo com a denúncia, Marília “comprava” os votos com o programa Renda para Viver Melhor. Reginaldo Andrade ressalta em sua decisão que testemunhas contaram que durante reuniões no Colégio Amapaense entre “beneficiárias”  do programa e Marília Góes, o pagamento em troca de apoio a Roberto Góes era feito no banheiro daquele educandário. Como a ação é de 2008, a decisão do juiz tornando os dois inelegíveis vale a partir daquele ano. Assim, de acordo com o juiz, Marília e Roberto podem nem ser empossados nos cargos de deputada estadual e deputado federal.

Tão logo saiu a decisão, a assessoria de comunicação de Marília Góes divulgou nota dizendo que a denúncia é improcedente e que “causa estranheza que a decisão tenha sido proferida em pleno recesso forense da Justiça Eleitoral e ainda em um processo que estava trancado por falta de provas”.  A assessoria assegura que  a decisão não representa prejuízo para a posse da deputada e que ela, Marília,” interporá os recursos necessários incluindo o pedido de suspensão da decisão.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *